REN vai mudar sede de Lisboa para Sacavém

A companhia vai deixar o seu edifício sede na Avenida Estados Unidos da América em Lisboa para se instalar em Sacavém, onde tem um edifício onde está instalado o seu centro de despacho a partir de onde gere as suas redes de transporte de eletricidade e de gás natural. A data de transferência não foi revelada pela empresa.

Cristina Bernardo

A REN – Redes Energéticas Nacionais vai mudar a sede de Lisboa para Sacavém, concelho de Loures. A decisão foi hoje anunciada pelo presidente da companhia.

“Estamos a trabalhar numa sede nova, que há de acontecer por daqui a uns anos”, disse Rodrigo Costa esta sexta-feira, 14 de maio, em conferência de imprensa.

A sede atual da REN fica localizada na Avenida Estados Unidos da América, em Alvalade, Lisboa. O edifício de 20 andares pertencia anteriormente à EDP, empresa da qual a REN fazia parte, antes de se tornar independente em 2000.

Atualmente, a REN tem instalado em Sacavém o seu centro de despacho para a rede elétrica, uma sala de operações com tecnologia de ponta de onde é possível gerir em todo o país as redes nacionais de transporte de eletricidade em muito alta tensão. Já o centro de despacho da rede de gás natural fica localizado no edifício da REN em Bucelas, também no concelho de Loures.

“O nosso objetivo é Sacavém, temos instalações muito boas com muito espaço, onde temos espaço exterior muito bom”, sublinhou o líder da companhia.

“O nosso grande objetivo agora e, quando este projeto estiver pronto, já estará muito mais bem adaptado do que hoje: melhor segurança para as pessoas, melhor qualidade das instalações, vamos fazer desta situação uma grande oportunidade de melhoria quer para a empresa quer para quem trabalha connosco”, segundo Rodrigo Costa.

Relacionadas

Lucros da REN sobem 4,4% no primeiro trimestre

A REN pagou menos CESE no primeiro trimestre, o que contribuiu para a subida dos lucros.

REN coloca limite mínimo anual nos dividendos:15,4 cêntimos

A empresa tem pago 17,1 cêntimos por ação desde 2013. A companhia justifica a decisão com o peso cada vez maior da taxa CESE sobre os seus lucros.

REN vai investir mais de 900 milhões de euros até 2024 (com áudio)

No plano de investimentos anterior, a companhia previa investir 500 milhões de euros na sua rede.
Recomendadas

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Desenvolvimento tecnológico vai marcar segurança privada

Na lista das 10 tendências identificadas pela associação norte-americana de segurança, e que constam do seu último relatório, todas têm uma base tecnológica e metade respeitam a esta integração entre vídeo e software, com destaque para as ferramentas de reconhecimento facial.

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.
Comentários