Renovar cartão de cidadão ou passaporte: tempo de espera atinge os dois meses

Para pedir a emissão ou renovação de documentos oficiais, há departamentos onde é preciso esperar quatro meses ou até mesmo seis meses.

Quem tiver de renovar o cartão de cidadão ou o passaporte, vai ter de esperar muito tempo para conseguir uma vaga. O tempo de espera de renovação destes documentos de identificação oficiais atinge os dois meses em muitos concelhos, e chega mesma a ser superior em muitos outros, noticia a rádio TSF esta sexta-feira, 5 de abril.

No site dos agendamentos eletrónicos do Instituto dos Registos e do Notariado, as primeiras vagas disponíveis para vários dos maiores concelhos do país só existem para daqui a dois meses, como em Lisboa, Sintra, Oeiras, Almada, Setúbal, Amadora, Odivelas ou Matosinhos.

Este site foi criado há quatro meses com o objetivo de agendar a emissão ou renovação de documentos oficiais. No departamento de identificação civil da Boa Hora em Lisboa, é mesmo preciso esperar aé outubro. Já na loja do cidadão de Odivelas é preciso aguardar até agosto. Já noutros concelhos, o tempo de espera é menor, como Porto, Felgueiras, Maia ou Penafiel.

A Associação Sindical dos Conservadores dos Registos alerta que faltam 1.500 trabalhadores nestes serviços e defende o seru reforço.

 

Recomendadas

Incêndios: Meios aéreos juntam-se ao combate ao fogo no parque do Gerês

Meios aéreos juntaram-se esta tarde ao combate ao incêndio que lavra desde sábado no Lindoso, Ponte da Barca, depois de ter levantado o nevoeiro que impediu o combate aéreo durante a manhã, informou fonte da Proteção Civil.

Árvores crescem no Pinhal de Leiria mas no terreno lamenta-se a falta de meios e demoras

Há milhares de pinheiros a crescer na Mata Nacional de Leiria, três anos após o incêndio que destruiu 86% da floresta da Marinha Grande. O Estado fala numa elevada taxa de regeneração, mas no terreno há críticas, pedindo-se mais meios.

Covid-19: Direção do consumidor emite quatro alertas no mesmo dia sobre máscaras

Quatro modelos de máscaras com insuficiente retenção de partículas no material filtrante foram na semana passada, num só dia, motivo de alertas da Direção-geral do Consumidor (DGC) e sistema europeu de alerta rápido para produtos não alimentares (Rapex).
Comentários