Repsol compra ativos e a comercializadora da Viesgo por 750 milhões de euros

A Repsol aumenta assim, significativamente, a sua presença no setor do retalho de gás e eletricidade de Espanha, com uma quota de mercado superior ao 2% e cerca de 750 mil

O Conselho de Administração da Repsol acaba de aprovar a aquisição da Macquarie Infrastructure and Real Assets (MIRA) e Wren House Infrastructure e dos negócios não regulados de geração de eletricidade de baixas emissões da Viesgo, bem como a sua comercializadora de gás e eletricidade, por 750 milhões de euros.

Esta operação, segundo esclarece a Repsol, em comunicado, traduz-se em mais um “passo no cumprimento do seu objetivo de transição energética, ao operar num negócio de baixas emissões com uma posição rentável e de longo prazo, que está em linha com o seu compromisso no combate à alteração climática”.

A petrolífera dá ainda nota de que a aquisição, estratégia industrial a longo prazo, permite desenvolver novas capacidades, inclui a incorporação de um novo operador no setor do gás e da eletricidade e demonstra a vontade de investimento em gerar novas oportunidades de trabalho. “Paralelamente, reforça a competência no setor, o que irá beneficiar os consumidores”, acrescenta ainda.

Compra de ativos no Norte de Espanha

Quanto aos ativos adquiridos, são centrais hidroelétricas com uma capacidade instalada de 700 MW, situadas no norte de Espanha e com um grande potencial de crescimento orgânico. Comprou também duas centrais de ciclo combinado de gás, em Algeciras (Cádiz), construída em 2011, e Escatrón (Zaragoza), construída em 2008. As duas somam uma capacidade de 1.650 MW. As centrais de carvão da Viesgo ficaram excluídas da transição. A Repsol passa assim a ser um ator relevante no mercado de eletricidade espanhol, com uma capacidade total instalada de 2.950 MW (2.350 MW procedentes desta operação, mais 600 MW das suas atuais plantas de cogeração).

A empresa também aumenta significativamente a sua presença no setor do retalho de gás e eletricidade de Espanha, com uma quota de mercado superior ao 2% e cerca de 750 mil, o que se traduz num avanço muito importante no cumprimento dos seus objetivos de alcançar em 2025 uma participação no mercado de retalho de gás e eletricidade 5% superior e 2,5 milhões de clientes.

Ler mais
Recomendadas

CDS quer actualização do Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa

Os deputados do CDS-PP Patrícia Fonseca, Ilda Araújo Novo e Hélder Amaral querem saber se está já em curso alguma actualização ao Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa e seus vectores, elaborado em 2016, e se não, para quando está pensada essa actualização. E enviaram a pergunta ao ao ministro da Agricultura, Florestas […]

Crise dos Combustíveis. CAP aconselha agricultores a “constituírem reservas e tomar medidas de prevenção”

Afinal a crise dos combustíveis não chegou ao fim. Sem conseguir um acordo com a Antram — Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou uma greve “cirúrgica” ao trabalho suplementar, feriados e fins-de-semana, entre 7 e 22 de Setembro. Por isso a CAP — […]

SIC e RTP1 foram os canais que mais peças emitiram sobre as eleições europeias

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social concluiu que o canal do grupo Impresa divulgou 189 peças com a presença de candidaturas às eleições para o Parlamento Europeu, que representam menos de 3% do tempo total de noticiários analisados.
Comentários