Governo de Merkel deverá pagar nove mil milhões para resgatar Lufthansa e ficar com 20%

Fontes envolvidas na negociação referem o fundo de estabilização económica do Governo germânico ainda não apresentou uma oferta final, mas que esta poderá ser feita durante esta quinta-feira.

A Lufthansa está em negociações avançadas com o Governo alemão para um resgate financeiro que deverá rondar os nove mil milhões de euros, sendo que o Executivo de Angela Merkel poderá ficar com uma participação de 20% na principal companhia aérea do país, de acordo com informações reveladas pela agência “Reuters” esta quinta-feira, 21 de maio.

A companhia aérea revela que com este acordo o Governo irá ocupar dois lugares no conselho de supervisão da empresa, mas só exercerá os seus plenos direitos de voto em circunstâncias excepcionais, como para proteger a Lufthansa de uma aquisição externa.

Fontes envolvidas na negociação referem o fundo de estabilização económica do Governo germânico ainda não apresentou uma oferta final, mas que esta poderá ser feita durante esta quinta-feira.

Este tipo de acordo não é exclusivo da Lufthansa. Companhias aéreas como o grupo franco-holandês Air France-KLM e as americanas American Airlines, United Airlines e Delta Air Lines também têm estado em negociações com os respetivos governos para possíveis resgates financeiros.

A Lufthansa espera que as condições deste acordo incluam a exclusão de futuros pagamentos de dividendos e limites ao pagamento da administração, sendo que este pacote financeiro deverá ser aprovado pela Comissão Europeia (CE).

A negociação inclui ainda um empréstimo de três mil milhões de euros do banco estatal KfW e um título conversível, que pode ser trocado por uma participação adicional de 5% mais uma ação no caso de um oferta pública de aquisição por terceiros.

A companhia aérea espera que este acordo possa ser concluído brevemente para garantir a sua solvência a longo prazo.

Ler mais
Recomendadas

PremiumISQ vai investir mais de um milhão de euros no fabrico aditivo (3D)

Pedro Matias, presidente da empresa, anuncia que vai ser criado um Laboratório de Manufatura Aditiva, que será único em Portugal.

Salas de cinema registam quebras na ordem dos 96% em julho

Segundo os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual, as salas de cinema nacionais receberam no último mês cerca de 78 mil espectadores, o que traduz uma quebra de 95,6% comparativamente à audiência em 2019,

PremiumRisco de continuidade do negócio é o mais relevante para as empresas

Um estudo da MDS revela que a possibilidade de recuperação em ‘V’ é, do lado das empresas, uma miragem: um a três anos é o tempo mínimo esperado de regresso à atividade pré-pandemia.
Comentários