Premium“Restrições da pandemia limitaram atividade”, afirma ASAVAL

No dia em que a entidade comemora dez anos de existência, o responsável sinaliza que, a manter-se o interesse dos investidores estrangeiros em Portugal, esse poderá ser um fator importante na retoma da economia.

Fundada em 2010, a Associação Profissional das Sociedades de Avaliação (ASAVAL) celebra esta sexta-feira, 5 de novembro, dez anos de vida. A entidade sem fins lucrativos representa as sociedades de avaliação e os peritos avaliadores com quem estas colaboram. Atualmente, as sociedades que integram a ASAVAL representam mais de 70% do mercado de avaliações realizadas para o setor financeiro. A associação assinala a efeméride realizando um congresso onde vai abordar o estado do setor, bem como as expetativas para a próxima década.

Presentes neste evento, que será conduzido através da plataforma Zoom devido à pandemia, estarão entre outros, o presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Tiago dos Santos Matias e Nick French, professor de Real Estate Valuation no Reino Unido.

Em entrevista ao Jornal Económico (JE), o engenheiro Paulo Barros Trindade, presidente da ASAVAL, aborda as perspetivas para o futuro deste setor, bem como o impacto que a pandemia teve na atuação dos seus profissionais.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

JLL representa o Fundo WTC da Sonae na venda do Porto Palácio Hotel e dois edifícios de escritórios

O departamento de Hotel Advisory de Capital Markets da JLL representou a SFS – Gestão de Fundos, SGOIC, enquanto sociedade gestora do Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado WTC, cujas unidades de participação são detidas pela Sonae Capital, na venda do complexo constituído pelo Porto Palácio Hotel e dois edifícios de escritórios.

Crédito novo para a habitação sobe 30,5% até maio e consumo de cimento 10,5%

De acordo com a “Síntese Estatística da Habitação” da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), o novo crédito concedido para aquisição de habitação atingiu 5.883 milhões de euros nos primeiros cinco meses do ano, mais 30,5% do que em igual período de 2020.

Censos 2021: Número de casas aumenta, mas a um ritmo “bastante inferior”

O número de edifícios destinados à habitação representa um aumento de 1,2% e o de alojamentos de 1,4% face a 2011. Açores e Algarve são as regiões que registam os maiores acréscimos no número de edifícios e de alojamentos destinados à habitação.
Comentários