Javier Martín: Resultados dos crowdfunding são “impressionantes”

O crowdfunding está a mudar as regras do jogo do financiamento a novos projetos, defende o fundador da Loogic.

Quando a Loogic anunciou, em 2015, a sua fusão com a Lázanos, a plataforma de informação para empreendedores e startups entrou no mundo do crowdfunding.
O fundador da Loogic, Javier Martín, esteve, recentemente, no SPIN2016, em Santiago de Compostela (Espanha) e falou com a ‘StartUp Magazine’ sobre o tema.

Quem costuma recorrer ao crowdfunding? Que tipo de empreendedores?
Na Europa, por exemplo, o crowdfunding é muito utilizado por artistas e criadores. Assim como pode ser na área da música, do cinema, dos livros, também é muito utilizado para iniciativas de solidariedade.
Nos Estados Unidos é mais utilizado por empreendedores que têm uma ideia de negócio e a lançam no mercado desta forma.
Na Europa também começa a ser utilizado pelos empreendedores, porque as vantagens são enormes e vale a pena aproveitar esta nova forma de financiar as empresas.

Quais os resultados finais? Já existem números?
Os resultados são impressionantes. A nível mundial, a principal plataforma de crowdfunding, a Kickstarter, financiou, em sete anos, 112.884 projetos e empreendedores, no valor de 2,3 mil milhões de euros.
E, por exemplo, a primeira plataforma espanhola, que se chama Verkami, financiou, em cinco anos, 3699 projectos no valor de 18,5 milhões de euros.

O que é, na realidade, o crowdfunding?
É uma nova maneira de financiar projectos de empreendedores, artistas e criadores. Uma forma de os clientes se transformarem em investidores, de envolver as pessoas no desenvolvimento de novos projectos. É uma ferramenta fantástica, que dá liberdade aos que a utilizam e que está a mudar as regras do jogo do financiamento a novos projectos das empresas.

O que deve ter em conta quem recorre ao crowdfundig?
Fundamentalmente, deve ser generoso na hora de partilhar a ideia, envolver as pessoas nos projectos para que o empreendedor não faça o que quer sem que haja compradores.
Também é muito importante que faça uma boa campanha de marketing para dar a conhecer a ideia. É fundamental transmitir a ideia através de blogs, redes sociais, meios de comunicação social, para que muita gente conheça o projecto e colabore.

Relacionadas

Amparo de San José: “Somos como uma porta de entrada”

A diretora da Rede de Business Angels do IESE Business School, que está presente no SPIN2016, sá nota do boom empreendedor em Espanha e apresenta alguns valores

Empresários e universitários assumem compromisso empreendedor

Compromisso de apoio ao empreendedorismo universitário foi hoje firmado no SPIN2016.
Recomendadas

Portuguesa Blue Oasis Technology foi uma das startups vencedoras do programa das fundações Oceano Azul e Calouste Gulbenkian

A empresa, com menos de um ano de vida, desenha, constrói e instala “recifes” artificiais que permitem a, recuperação de ecossistemas marinhos danificados e a reversão do declínio da biodiversidade do oceano. Noruegueses da Tekslo Seafood e argentinos da FeedVax também se destacaram.

Networking e praia. Evento de empreendedorismo internacional chega a Portugal em 2022

Depois de três edições no México, o Pitch at the Beach atravessa o Oceano Atlântico para alargar a sua rede de networking até à zona costeira portuguesa.

Portuguesa Knok assegura 4,4 milhões em ronda de investimento com Fundo NOS 5G e Triple Point

Startup portuguesa integra vídeoconsultas, ferramenta de apoio à triagem e monitorização remota de pacientes via inteligência artificial num único sistema.
Comentários