PremiumRetalho em perda critica alarmismo sobre o Natal

Gonçalo Lobo Xavier, da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, ataca restrições do Governo e declarações do Presidente da República.

“Desolados” e “desiludidos”, é como Gonçalo Lobo Xavier, secretário geral da APED – Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição resume ao Jornal Económico o sentimento da generalidade dos operadores das grandes superfícies de distribuição a operar em Portugal perante as últimas medidas e declarações que responsáveis políticos nacionais têm emitido em relação ao setor no âmbito do combate à Covid-19. Em primeiro lugar, as críticas dirigem-se ao Governo, que no Conselho de Ministros da passada quarta-feira, dia 14 de outubro, manteve as medidas restritivas nos supermercados e nas lojas, em particular a proibição de venda de bebidas alcoólicas a partir das 20 horas e o limite máximo de cinco pessoas por cada 100 metros quadrados, e que se vão manter, pelo menos, por mais duas semanas.

“Estamos perplexos e um bocado desiludidos e desolados com a manutenção destras restrições, porque ninguém nos explica o que está por detrás destas medidas, ninguém explica a quem servem, ninguém justifica o seu racional. Temos questionado o Governo e não temos respostas”, lamenta Gonçalo Lobo Xavier.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Grupo Jerónimo Martins sobe vendas em 3,9% nos primeiros nove meses de 2020, para 14,2 mil milhões de euros

Entre janeiro e setembro deste ano, o grupo liderado por Alexandre Soares dos Santos obteve lucros de 219 milhões de euros.

Mercadona já tem quatro aberturas de supermercados previstas para 2021 no norte de Portugal

Para o próximo ano, o grupo espanhol de distribuição prevê colocar em operação mais dez supermercados em território nacional, a juntar aos 20 com que prevê encerrar o presente exercício, mantendo o ritmo de abertura de dez supermercados por ano (dez em 2019, dez em 2020) desde que entrou em Portugal. O grupo já está a lançar ofertas de emprego para os novos quatro supermercados previstos para o próximo ano, em Guimarães, Vila Nova de Famalicão, Porto e Santa Maria da Feira.

Mercadona adia inauguração de supermercado de Paços de Ferreira

“Perante a atual situação, informamos que vamos proceder ao adiamento da abertura do supermercado de Paços de Ferreira para o dia 5 de novembro”, revela um comunicado da Mercadona.
Comentários