Roménia vai permitir entrada de 12 mil adeptos nos estádios escolhidos do Euro 2020 (com áudio)

Embora ainda não se saiba se o formato escolhido inicialmente, de disputar o EURO 2020 em 12 cidades diferentes, siga como planeado, a própria federação romena garantiu que o EURO 2020 terá publico nas bancadas, pelo menos em território romeno, avançando com uma média de 12 mil espectadores por encontro.

A Federação Romena de Futebol (FRF) anunciou em comunicado que os quatro jogos disputados em Bucareste (três na fase de grupos e um nos oitavos-de-final) do Euro 2020 terão 25% da capacidade, ou seja, 12 mil espetadores, avança o portal “Palco 23”.

Embora ainda não se saiba se o formato escolhido inicialmente, de disputar o Euro 2020 em 12 cidades diferentes, siga como planeado, a própria federação romena garantiu que o Euro 2020 terá publico nas bancadas, pelo menos em território romeno, avançando com uma média de 12 mil espectadores por encontro.

Nos últimos dias, o Reino Unido voluntariou-se, através do primeiro-ministro, Boris Johnson, para receber todos os jogos agendados do Campeonato da Europa de seleções em solo britânico. Inglaterra vai receber vários encontros, com destaque para as meias-finais e a final, em Wembley.

“As autoridades aceitaram, em princípio, a proposta da Comissão Organizadora Local de permitir o acesso de espectadores às bancadas dos jogos do Campeonato da Europa na proporção de 25% da capacidade total do estádio nacional”, sublinhou a federação romena em comunicado.

No início de 2021, o presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, reiterou o compromisso que o órgão tem de realizar a competição em doze países diferentes do continente europeu.

Devido ao adiamento do torneio para 2021 devido à pandemia Covid-19, a UEFA criou um fundo de solidariedade para as federações participantes, que contavam com a receita do evento para financiar investimentos relacionados com a competição.

Ler mais
Recomendadas

Superliga: Criadores pretendem remodelar prova após êxodo dos ingleses (com áudio)

O Manchester City foi o primeiro dos clubes ingleses a oficializar, na terça-feira, a saída da Superliga, seguindo-se, pouco depois e praticamente ao mesmo tempo, Arsenal, Liverpool, Manchester United e Tottenham, antes de o Chelsea consumar o abandono de toda a ‘elite’ do futebol britânico, já na madrugada de hoje.

Superliga: Arsenal, Liverpool, Tottenham e Manchester United também abandonam

Os ‘citizens’ anunciaram anteriormente que já tinham iniciado formalmente o procedimento para se retirarem do grupo responsável pelo desenvolvimento do projeto da Superliga europeia, tendo agora sido seguidos por mais estes quatro clubes ingleses, estando ainda na calha a eventual saída do Chelsea.

Fernando Santos mostra-se “totalmente contra” criação da Superliga

“Nem me passa pela cabeça que isso possa ser viável, sinceramente. Não faz nenhum sentido. O que vai trazer de positivo ao futebol? Menor qualidade, só”, referiu o selecionador nacional.
Comentários