Rui Rio acusa militantes do PSD que criticam Governo de falta de ética e patriotismo

Líder social-democrata não identificou na carta que enviou aos militantes “os que não resistem à tentação de agravar os ataques aos governos em funções, aproveitando-se partidariamente das fragilidades políticas que a gestão de uma tão complexa realidade sempre acarreta“.

rui_rio_psd
Tiago Petinga/Lusa

Rui Rio enviou uma carta aos militantes do PSD na qual avisa que fazer críticas à forma como o Governo de António Costa está a responder à pandemia de Covid-19 “não é, neste momento, uma postura eticamente correta” e “não é, acima de tudo, uma posição patriótica”. “O que as pessoas querem (e bem!) é eliminar o vírus o mais depressa possível, dispensando uma instabilidade política que só dificulta o que já, de si, não é fácil de resolver”, escreveu o líder social-democrata na carta, revelada nesta quarta-feira pela Rádio Renascença.

Recordando que enquanto líder da oposição tem tido “uma atitude de cooperação com o Senhor Presidente da República e com o Governo de Portugal, procurando ajudar a resolver da melhor maneira o grave problema que nos atormenta enquanto povo e enquanto nação”, Rui Rio escreveu que a maioria dos militantes do PSD têm seguido o seu exemplo, sem identificar quais considera estarem a pecar por falta de ética e de patriotismo.

”Lamentavelmente, na vida política nem sempre essa união contra o inimigo comum acontece, pois, não raras vezes, aparecem os que não resistem à tentação de agravar os ataques aos governos em funções, aproveitando-se partidariamente das fragilidades políticas que a gestão de uma tão complexa realidade sempre acarreta”, escreveu o líder social-democrata, contrapondo que “podemos ter a certeza que a grande maioria dos militantes sociais-democratas continuam a estar à altura das suas responsabilidades”.

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Natal e passagem de ano: estas são as 14 regras que vão vigorar

Restaurantes abertos até à uma da manhã nas noites de natal e de passagem de ano, e natal sem interdição de circulação entre concelhos são algumas da medidas que vão vigorar durante a época festiva. Governo avalia medidas a 18 de dezembro à luz da evolução da pandemia da Covid-19.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários