Rui Rio exige maior controlo de voos vindos do Brasil caso Bolsonaro não tome medidas contra a Covid-19

Desde de que foi decretado o Estado de Emergência, o Governo português limitou a circulação aérea de voos de Lisboa – Rio de Janeiro e Lisboa – São Paulo. Da parte da TAP, apenas os voos com destino a São Paulo serão permitidos.

rui_rio
Estela Silva/Lusa

Depois de Jair Bolsonaro ter proposto a reabertura das escolas e comércio e dar por fim o isolamento decretado em alguns estados brasileiros, nomeadamente São Paulo, o líder da oposição Rui Rio manifestou preocupação e alertou que se o mesmo “vier a acontecer”, Portugal vai ter que reagir à altura.

“Se isto vier a acontecer, nós vamos ter de nos proteger de forma redobrada e de imediato, relativamente aos voos vindos do Brasil”, afirmou o líder do PSD. “Desta vez não pode haver atrasos”.

Desde de que foi decretado o estado de emergência, o Governo português decidiu cancelar todos os voos com destino/origem em países de fora da União Europeia, permitindo apenas a circulação aérea dos países extracomunitários onde há grandes comunidades portuguesas.

No caso concreto do Brasil, as rotas são restringidas a Lisboa – Rio de Janeiro e Lisboa – São Paulo, ficando suspensos os voos para destinos turísticos. Da parte da TAP, espera-se apenas a circulação de três voos semanais com destino a São Paulo.

A resposta de Rio surge depois de Jair Bolsonaro ter falado, esta terça-feira ao país sobre o novo coronavírus e ter pedido às autoridades estaduais e municipais que reabram escolas e comércio, e ponham fim ao “confinamento em massa”.

“Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o encerramento do comércio e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas”, questionou Jair Bolsonaro, sublinhando que o país deve “voltar à normalidade”.

As declarações de Bolsonaro foram emitidas no dia em que o Brasil ultrapassou os dois mil casos confirmados da covid-19, com o país a registar 2.201 infetados e 46 mortos, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

 

Ler mais
Relacionadas

Bolsonaro: “Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado com o vírus, não precisaria de me preocupar”

O Ministério da Saúde do Brasil recusou pronunciar-se sobre as palavras proferidas pelo presidente. No seu discurso, Jair Bolsonaro defendeu que não são necessárias medidas de quarentena e criticou os media.

Covid-19. Traficantes do Rio de Janeiro impõem recolher obrigatório

“Atenção todos os moradores de Rio das Pedras, Muzema e Tijuquinha! Toque de recolher a partir de hoje 20 horas. Quem for visto na rua após este horário vai aprender a respeitar o próximo!”, revela uma das mensagens dos traficantes, divulgada pela imprensa brasileira.

“Não acredito no colapso”. Bolsonaro descarta fragilidades no SNS brasileiro

Apesar do ritmo de propagação não mostrar sinais de abrandamento, nem no país, nem no mundo, Bolsonaro descarta o alerta dado pelo Ministério da Saúde que dá conta de um SNS sobrecarregado, pelo menos, até finais de abril.
Recomendadas

Efacec vai para lay-off durante 30 dias a partir de 6 de abril

A empresa diz que o lay-off será aplicado “transversalmente a todos os níveis da organização”, tanto na modalidade de suspensão de contrato, como da redução temporária do horário de trabalho.

Só vão ser permitidas deslocações na área de residência permanente durante a Páscoa

O decreto do Governo que vai regular o novo período de Estado de Emergência nacional, até 17 de abril, prevê ainda que, nas deslocações de carro, são apenas permitas duas pessoas por veículo, exceto no caso das famílias.

Parlamento quer ouvir Miguel Frasquilho sobre lay-off da TAP a 14 de abril

Assembleia da República aprovou por unanimidade a proposta do Bloco de Esquerda para ouvir, “com carácter de urgência”, o presidente do Conselho de Administração da TAP sobre a situação atual da empresa e a política laboral e comercial.
Comentários