SAD do Benfica considera OPA “oportuna” e “a contrapartida é justificada”

Em comunicado divulgado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD do Benfica diz que “a Benfica SAD que a Oferta, nos moldes em que lhe foi apresentada, é oportuna e a contrapartida é justificada, reunindo as condições adequadas à sua aceitação por parte dos seus destinatários.

A Sport Lisboa e Benfica SAD considera que a OPA lançada pelo Sport Lisboa e Benfica “é oportuna” e referiu que “a contrapartida é justificada”.

No dia 18 de novembro, o Benfica lançou uma OPA parcial sobre 28,0653% das ações representativas do capital social da Benfica SAD, pagando cinco euros por ação.

Em comunicado divulgado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD do Benfica disse que “a Benfica SAD que a Oferta, nos moldes em que lhe foi apresentada, é oportuna e a contrapartida é justificada, reunindo as condições adequadas à sua aceitação por parte dos seus destinatários.

A SAD do Benfica, liderada por Domingos Soares de Oliveira, considera que ” a oportunidade de uma oferta constitui corolário da avaliação estratégica empresarial que o conselho de administração da sociedade visada faz sobre as condições objetivas da mesma”.

Sobre o preço oferecido – cinco euros por ação – a SAD benfiquista explicou que é superior não apenas à cotação média ponderada das ações da Benfica SAD nos seis meses anteriores à divulgação do anúncio preliminar da OPA, mas também à cotação intradiária mais elevadas das ações no mesmo período.

Desta forma, a sociedade anónima desportiva considera que a oferta permite “aos acionistas que adquiriram ações da Benfica SAD no decurso da oferta pública de distribuição realizada em 2001 venderem ações de que são titulares a um preço semelhante ao preço nominal a que as mesmas foram então subscritas, conferindo-lhes a possibilidade de recuperarem o montante investido, caso vendam as referidas ações na Oferta”.

“É retribuída, assim, a confiança depositada na Benfica SAD que aqueles manifestaram através da participação num aumento de capital decisivo para a vida da empresa”, lê-se na nota.

Sobre os planos estratégicos que o Benfica tem para a SAD, a instituição liderada por Domingos Soares de Oliveira frisou que “a oferta permite o reforço da posição acionista do Sport Lisboa e Benfica na Benfica SAD, o que possibilita a continuidade do rumo estratégico que tem vindo a ser prosseguido nos últimos anos”.

No caso do Benfica passar a ser formalmente detentor de mais ações na SAD em número superior àquelas que integram a participação direta do Benfica na SAD, “continuará a ser o Sport Lisboa e Benfica a deter, direta ou indiretamente, a totalidade dessas ações e a determinar, em exclusivo, o sentido dos direitos de voto inerentes às mesmas, uma vez que é o acionista controlador do oferente”, lê-se.

(atualizada)

 

Ler mais

Relacionadas

OPA à SAD do Benfica “garante pé-de-meia a quem está nos órgãos sociais”

Luís Miguel Henrique refletiu sobre a OPA da Benfica SGPS à Benfica SAD. “Folga financeira alivia os cofres de alguns sócios fundadores da SAD”, realçou o comentador.

“Abertura da maioria de capital das SAD ainda é tabu em Portugal”

Na última edição do ‘Mercados em Ação’, o economista Luís Tavares Bravo analisou a OPA da Benfica SGPS à SAD do clube e considerou que a Liga portuguesa continua a distanciar-se dos grandes campeonatos europeus.
Recomendadas

PremiumGoverno trava subida das taxas de supervisão em 2020 proposta pela CMVM

Em ano de prejuízos, a entidade reguladora vê a proposta de um novo modelo de financiamento congelada pelo Ministério das Finanças. São mais dois milhões de euros que ficam por receber.

PSI 20 fecha semana no ‘vermelho’ afetado pelo BCP e Galp

Praça lisboeta terminou a sessão a descer 0,87%, para 4.390,27 pontos nesta sexta-feira, seguindo a tendências das suas congéneres europeias.

Bolsa de Lisboa perde fôlego a meio da sessão e acompanha quedas da Europa

A penalizar a praça lisboeta estão títulos como o BCP, que perde 0,92%, NOS, que desvaloriza 1,64%, ou Mota-Engil, que cai 1,22%. A alemã Wirecard está a subir mais de 3% depois de a ‘Bloomberg’ avançar que Deutsche Bank está interessado na unidade financeira da empresa.
Comentários