Saiba como a consolidação de crédito pode ajudar no fim das moratórias

O crédito consolidado é um novo crédito, cujo destino é liquidar os restantes créditos, tendo acesso a condições mais vantajosas. Tem como principal objetivo melhorar as nossas condições financeiras. Esta é uma solução que pode aliviar os encargos financeiros imediatos. Contudo, para que esta solução esteja à sua disposição não pode estar numa situação de incumprimento.

Muitas famílias poderão recuperar a autonomia financeiro recorrendo ao crédito. A fintech Doutor Finanças explica que a consolidação de crédito pode ajudar a enfrentar o fim das moratórias, numa altura em que muitas famílias enfrentam situações financeiras mais frágeis.

“É preciso perceber qual é a sua situação e quais são as suas opções. O crédito consolidado é uma das soluções possíveis para quem tem vários empréstimos, pois permite juntar vários créditos num só, com melhores condições e uma única prestação mensal mais baixa, quando comparado com o total das várias prestações. Ao recorrer a esta solução financeira, é possível recuperar a autonomia financeira”, adianta Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças.

O crédito consolidado é um novo crédito, cujo destino é liquidar os restantes créditos, tendo acesso a condições mais vantajosas. Tem como principal objetivo melhorar as nossas condições financeiras. Esta é uma solução que pode aliviar os encargos financeiros imediatos. Contudo, para que esta solução esteja à sua disposição não pode estar numa situação de incumprimento.

De realçar que, tratando-se de um novo crédito, vai ser necessário analisar o seu perfil enquanto cliente bancário, a nossa taxa de esforço, as condições laborais em que se encontra de momento, entre outros fatores.

Neste contexto, poderá avaliar a possibilidade do crédito consolidado com hipoteca. Neste caso é utilizado um bem imóvel (habitação própria, habitação secundária ou mesmo um imóvel de um familiar) como garantia ao empréstimo. Com esta solução tem uma maior probabilidade de ver o seu crédito aprovado. Ao dar esta garantia acabará também por conseguir uma taxa de juro mais baixa (fator fundamental para poupar dinheiro com crédito).

Contudo, o crédito consolidado com hipoteca, traz consigo também algumas desvantagens, como aumentar o encargo total dos créditos inicialmente mais curtos. Por exemplo, se tiver créditos com prazos já a terminar ou mais pequenos do que os que vão ser propostos, o mais provável é que o novo crédito consolidado acabe por ter um prazo mais alargado para que consiga ter prestações mais baixas. Nestes casos, no final das contas o crédito pode sair mais caro, porque vai pagar mais juros.

Por outro lado, deve sempre verificar se tem acesso ao crédito consolidado. Por exemplo, se estiver em incumprimento, não consegue contrair novos créditos. Se já entrou em incumprimento terá de tentar renegociar os seus créditos sozinhos, diretamente com a entidade com a qual entrou em incumprimento.

Esta é, assim, uma solução que lhe permite reduzir os encargos imediatos com os créditos que tem em mãos. Em algumas situações as poupanças podem ser significativas.

A Doutor Finanças realça ainda que, além do crédito consolidado, existem outras medidas para equilibrar as suas finanças. “O importante é ter uma noção exata de como estão as nossas finanças e agir depressa. Para isso, devemos começar por falar com o nosso banco e perceber se, por exemplo, podemos usufruir de soluções como a carência de capital ou o diferimento de capital. Há ainda a possibilidade de transferirmos os nossos créditos para outras instituições, com o objetivo de aproveitarmos melhores condições que estejam a ser oferecidas”, afirma a empresa.

Recomendadas

Já pode investir na criptomoeda Dogecoin com a aplicação da Revolut

A fintech britânica tem 30 criptomoedas disponíveis para investimento. Curiosamente, a cara que está nesta moeda virtual – ou seja, o focinho de cão – foi esta sexta-feira vendida como NFT por 4 milhões de dólares.

Como escolher oportunidades de investimento imobiliário? Veja o “Economize”, programa de finanças pessoais

Acompanhe o programa “Economize” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Quer investir o reembolso do IRS? 10 dicas para o fazer em segurança

Segundo a corretora ActivTrades, no investimento a longo-prazo, retorno nem sempre é tão rápido como esperado, por isso, é importante conhecer os diferentes tipos de investimento para determinar se correspondem às necessidades e expectativas de cada um.
Comentários