PremiumSaiba quem são os 13 vencedores do leilão de energia solar. Investidores vêm de seis países

Empresas de seis países ganharam lotes, segundo a lista obtida pelo Jornal Económico. Governo elogia preços baixos, mas setor teme falta de rentabilidade.

Espanha é o grande vencedor do leilão de energia solar em Portugal. Entre as 13 empresas vencedoras, o maior número vem do outro lado da fronteira, quatro no total e que conquistaram 337 megawatts (MW) dos 1.150 MW atribuídos. Segue-se França (520 MW) e Portugal (57 MW) com três empresas cada uma. Alemanha (18 MW), Estados Unidos (50 MW) e Reino Unido (168 MW), contam com uma empresa cada, segundo as informações obtidas pelo Jornal Económico.
A Iberdrola é a grande vencedora deste leilão em termos de lotes, conquistando cinco dos 22 lotes atribuídos, onde vai ter a possibilidade de instalar 149 MW.

Também de Espanha vem a Prodigy Orbit, empresa detida pela Solaria Energia Generacion Renovable, que conquistou quatro lotes com 49 megawatts.

Outra empresa vinda do outro lado da fronteira é a Days of Luck – detida pela Dos Grados Capital, que por sua vez pertence à empresa de investimento espanhola JB Capital Markets. A Days of Luck conquistou um lote com 110 MW.
A quarta empresa espanhola é a Prosolia Renováveis Portugal. Presente nos dois países ibéricos e em França, esta companhia conta com 300 MW já instalados. Neste leilão, venceu um lote com 29 MW.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Hidrogénio verde. Porto de Roterdão prevê carregamentos de Sines a partir de 2025, mas também tem planos para produzir

Portugal não está sozinho no objetivo de exportação para Roterdão. O porto holandês aponta que as importações deste gás poderão origem no sul da Europa, norte de África, Médio Oriente e já estuda a compra de hidrogénio australiano.

“Conversas com Norte”. Ricardo Costa: “Dinâmica que queremos imprimir foi bem aceite pela CIP”, revela presidente da AEMinho (com áudio)

Ricardo Costa, presidente da Associação Empresarial do Minho e CEO do Grupo Bernardo da Costa, é o convidado do podcast “Conversas com Norte”, que poderá ouvir em jornaleconomico.pt e na ‘playlist’ do JE no Spotify.

PremiumMão de obra migrante é chave no agroalimentar

Trabalhadores estrangeiros são cruciais para o sector e são necessárias políticas de integração mais eficazes, defendem especialistas.
Comentários