PremiumSaiba quem são os 13 vencedores do leilão de energia solar. Investidores vêm de seis países

Empresas de seis países ganharam lotes, segundo a lista obtida pelo Jornal Económico. Governo elogia preços baixos, mas setor teme falta de rentabilidade.

Espanha é o grande vencedor do leilão de energia solar em Portugal. Entre as 13 empresas vencedoras, o maior número vem do outro lado da fronteira, quatro no total e que conquistaram 337 megawatts (MW) dos 1.150 MW atribuídos. Segue-se França (520 MW) e Portugal (57 MW) com três empresas cada uma. Alemanha (18 MW), Estados Unidos (50 MW) e Reino Unido (168 MW), contam com uma empresa cada, segundo as informações obtidas pelo Jornal Económico.
A Iberdrola é a grande vencedora deste leilão em termos de lotes, conquistando cinco dos 22 lotes atribuídos, onde vai ter a possibilidade de instalar 149 MW.

Também de Espanha vem a Prodigy Orbit, empresa detida pela Solaria Energia Generacion Renovable, que conquistou quatro lotes com 49 megawatts.

Outra empresa vinda do outro lado da fronteira é a Days of Luck – detida pela Dos Grados Capital, que por sua vez pertence à empresa de investimento espanhola JB Capital Markets. A Days of Luck conquistou um lote com 110 MW.
A quarta empresa espanhola é a Prosolia Renováveis Portugal. Presente nos dois países ibéricos e em França, esta companhia conta com 300 MW já instalados. Neste leilão, venceu um lote com 29 MW.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Vietname contorna Huawei ao desenvolver tecnologia própria para o 5G

A empresa estatal Viettel, que é operada pelo Ministério da Defesa do Vietname, vai começar a instalar a próxima geração de rede móvel a partir de junho e concluirá a implementação em todo o país no período de um ano.

Central de hidrogénio de Sines implica investimento de 3,5 mil milhões

O projeto visa criar hidrogénio verde em Portugal para ser exportado para os Países Baixos. Construção poderá arrancar em meados de 2021.

Matosinhos chama empreendedores do mar para “inverter ciclos negativos” da economia azul

O programa BluAct é apresentado esta segunda-feira em Matosinhos, cidade que representa Portugal a nível europeu. “Há cerca de 200 investigadores a trabalhar no centro tecnológico CIIMAR que, em muitos casos, têm ideias que não avançam por não terem estímulos suficientes”, disse António Correia Pinto, vereador do Ambiente da Câmara Municipal, ao Jornal Económico.
Comentários