Salão Imobiliário Português em Paris vai trazer talentos internacionais para Portugal

Marc Laufer, o novo proprietário do Salão Imobiliário Português em Paris, é co-fundador e diretor-executivo da Altice Media Group.

Paris, França – 130 euros

O Salão do Imobiliário e Turismo Português em Paris, adquirido recentemente pelo empresário francês Marc Laufer, vai apostar na captação de talentos internacionais na edição deste ano, que se vai realizar de 17 a 19 de maio, no Parque de Exposições de Porte de Versailles, na capital francesa.

O pavilhão, de cinco mil metros quadrados, vai contar com cerca de 200 expositores, um ciclo de 40 conferências sobre imobiliário e turismo e são esperados 17 mil visitantes a quem vão ser apresentadas oportunidades para residir, investir, empreender, trabalhar e/ou visitar Portugal.

“Para a 8ª edição deste salão português único na Europa, uma das principais apostas é a captação de talentos internacionais, perspetivando Portugal como o ‘hub’ da mobilidade internacional de altos quadros”, destaca um comunicado da organização deste certame.

“Queremos promover a captação de talentos internacionais para Portugal que podem cooperar com os talentos portugueses. Queremos trabalhar o lugar de Portugal na mobilidade internacional dos altos quadros, desde profissionais liberais, a ‘startupers’, criativos e ‘digital nomads'”, destaca o diretor do Salão, Ricardo Simões, sublinhando que as inscrições para os expositores estão “a decorrer a um excelente ritmo” e estão abertas até finais de março.

O ‘slogan’ desta edição é “um salão das oportunidades”. “Oportunidades para os já estabilizados segmentos dos seniores e dos turistas, mas também para o universo das ‘startups’ e das incubadoras especializadas, para o turismo de negócios e para o imobiliário comercial”, adianta o referido comunicado.

Este será também “um Salão das Oportunidades” para investir em todo o país. “Desde a primeira edição, em 2012, o Salão do Imobiliário e Turismo Português em Paris contribuiu fortemente para o ‘boom’ da procura francófona de bens imobiliários em Portugal”, destaca o referido comunicado.

“Ao longo dos últimos anos e por intermédio do salão, as vendas de bens imobiliários terão alcançado dois mil milhões de euros, de acordo com o presidente do salão até à edição de 2018, Carlos Vinhas Pereira”, sublinha o mesmo documento.

O mesmo comunicado assinala que Portugal está na moda para os francófonos e afirma-se como um dos seus destinos favoritos de férias, onde muitos se sentem ’em casa’ e decidem instalar-se”, apresentando como justificativos a “segurança, bem-estar, hospitalidade e vantagens fiscais” para atrair reformados, profissionais liberais e vários artistas, como o famoso criador de sapatos Christian Louboutin, o ‘designer’ Philippe Starck, o músico Florent Pagny e o actor e antigo futebolista Eric Cantona.

“Desde 2009, 23.767 pessoas aderiram ao regime dos residentes não habituais, das quais apenas 1.502 são portuguesas e o maior número é oriundo de França (5.896), de acordo com dados do ministério das Finanças divulgados em setembro de 2018.
A 8ª edição do evento quer alargar as oportunidades de investimento a todo o território e, nesse sentido, chamar a atenção dos investidores para medidas como, por exemplo, o Programa de Captação de Investimento para o Interior, incentivos fiscais à reabilitação urbana, o programa de Instalação de Empresas em Territórios do Interior ou a aprovação do novo aeroporto do Montijo”, avança o referido comunicado.

O certame pretende também afirmar-se como ‘um salão das oportunidades’ para as novas tecnologias em Portugal, “com Lisboa a afirmar-se, cada vez mais, como o ‘Sillicon Valley’ europeu, na senda das oportunidades geradas pelo sucesso da Web Summit e pelo desenvolvimento de um ecossistema de ‘startups’ e novas tecnologias, o Salão do Imobiliário e Turismo Português – Invest.Portugal quer alargar as oportunidades ao resto do país”.

“O objetivo é atrair jovens empreendedores europeus para incubadoras especializadas no interior de um Portugal estável e rico em vantagens concorrenciais”, adianta o comunicado.

Será também ‘um salão das oportunidades” para o turismo de negócios, uma vez que “Portugal mantém-se no ‘top 10’ do ‘ranking’ mundial dos destinos mais procurados para a realização de congressos, conferências e eventos internacionais, de acordo com a listagem anual da Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA na sigla inglesa)”, salientam os organizadores.

O Salão do Imobiliário e Turismo Português em Paris “vai destacar oportunidades no turismo de negócios e revelar as potencialidades no segmento dos ‘MICE’ [‘Meetings Incentives Conferences and Events’], ou seja, em espaços capazes de receber congressos, convenções e outros eventos internacionais.

Será ainda ainda ‘um salão das oportunidades” para o imobiliário comercial, já que Portugal “é um destino de investimento cada vez mais competitivo, ideal para viver, estudar, investigar e criar empresas”.

“O salão vai apresentar aos investidores oportunidades no comércio e nos serviços, uma área consolidada pelos excelentes resultados dos últimos meses. Em 2018, as transações imobiliárias comerciais dispararam para os 3,3 mil milhões de euros, numa subida de 74% face ao ano anterior, de acordo com o relatório da consultora JLL, divulgado em janeiro”, recorda o comunicado.

A 8a edição do Salão do Imobiliário e Turismo Português – Invest.Portugal vai contar com um ciclo de 40 conferências temáticas em torno do imobiliário, do turismo, do investimento e do empreendedorismo.

“Das vantagens de se criar um ‘e-commerce’ em Portugal, aos incentivos para rodar filmes num país seguro, próximo, com profissionais qualificados e diferentes paisagens, a escolha de Portugal como país de residência e/ou de férias vão ser alguns dos temas abordados”, adianta o referido comunicado.

No final de 2018, o empresário francês Marc Laufer comprou o Salão do Imobiliário e do Turismo Português à Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa que criou e organizava o evento desde 2012.

Marc Laufer abraçou o projeto com convicção e profundo conhecimento de causa depois de ter sido um dos milhares de visitantes do Salão do Imobiliário e do Turismo Português e de também se ter deixado seduzir por Portugal, para onde se mudou em 2017. Empresário reconhecido e reputado no setor dos media e eventos, Marc Laufer é co-fundador e director-executivo da Altice Media Group, antigo diretor-geral de NextRadioTV (BFM, RMC) e presidente da NewsCo (L’Etudiant).

A Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa e a Fundação AIP continuam a ser parceiros do evento que conta, ainda, com o apoio das delegações de Paris da AICEP e do Turismo de Portugal.

Ler mais
Recomendadas

PremiumConservas querem substituir 200 milhões de importações

Campanha em curso de promoção do consumo de conservas deverá aumentar vendas em cerca de 5%, revela José Maria Freitas, presidente da ANICP – Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe, em entrevista ao Jornal Económico.

Lucro da petrolífera Saudi Aramco cai 50% no primeiro semestre para 19,7 mil milhões de euros

A petrolífera Saudi Aramco alcançou 23,2 mil milhões de dólares (cerca de 19,7 mil milhões de euros) de lucro no primeiro semestre deste ano, menos 50% do que em igual período do 2019, penalizado pela pandemia de covid-19.

Apenas 2,7% das coimas da Autoridade da Concorrência foram pagas desde 2004

Uma das razões para os atrasos são os múltiplos recursos na Justiça, que contribuem para que só uma pequena parte das coimas seja paga.
Comentários