Salário mínimo aumenta hoje para 600 euros

O aumento do salário mínimo nacional dos 580 euros para 600 euros entra hoje em vigor e deverá beneficiar mais de 750 mil trabalhadores, segundo o Governo

BdP

O aumento do salário mínimo nacional dos 580 euros para 600 euros entra hoje em vigor e deverá beneficiar mais de 750 mil trabalhadores, segundo o Governo.

A atualização do salário mínimo esteve em discussão na Concertação Social, com as centrais sindicais a reclamarem subidas superiores ao previsto no programa do Governo – a UGT 615 euros e a CGTP 650 euros -, mas as confederações patronais defendiam que a atualização não deveria ir além dos 600 euros.

A falta de entedimento levou o Governo a avançar com o valor de 600 euros, segundo explicou na altura o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva.

“Não houve nenhum consenso em ter uma subida mais elevada e, na inexistência desse consenso e tendo em atenção que o Governo preza também a previsibilidade para todos os agentes económicos, a decisão que tomou foi ser fiel ao seu programa”, declarou Vieira da Silva à saída da reunião da Concertação Social que concluiu a discussão sobre o salário mínimo.

No decreto-lei que atualiza o salário mínimo, publicado em 27 de dezembro no Diário da República, o Governo sublinha que a remuneração mínima foi aumentada quatro vezes ao longo da legislatura, resultando numa valorização nominal “na ordem dos 15% entre 2015 e 2018”.

O salário mínimo subiu de 505 euros para 530 euros em janeiro de 2016, para 557 euros em janeiro de 2017 e para 580 euros em janeiro de 2018.

No comunicado do Conselho de Ministros que aprovou a atualização do salário mínimo, em 20 de dezembro, o Governo estima que o aumento para 600 euros em 2019 beneficiará “mais de 750 mil trabalhadores”.

 

 

Ler mais
Relacionadas

Taxa turística em Lisboa sobe hoje para 2 euros

De acordo com o vereador Manuel Grilo, este aumento servirá para reforçar a limpeza urbana e os transportes nas zonas com maior pressão do turismo. No orçamento do município para 2019, a Câmara de Lisboa estima um encaixe “na ordem dos 36,5 milhões de euros” com esta taxa ao longo deste ano.

Recibos verdes: saiba o que muda

Com o novo regime, deixa de haver escalões e os trabalhadores independentes passam a ter uma obrigação declarativa trimestral, que deve ser feita até ao último dia de janeiro, abril, julho e outubro, em relação aos rendimentos obtidos nos três meses anteriores.

Gasolina a caminho do valor mais baixo em mais de dois anos

Combustíveis estão adescer há três meses consecutivos e o arranque do ano não vai ser excepção.

Cinco erros que comete na hora de gerir o seu dinheiro

Fazer uma boa gestão do seu dinheiro pode fazer toda a diferença na hora de poupar e que podem contribuir para o seu bem-estar financeiro presente e futuro. Mas há erros básicos que deve tentar evitar. Saiba quais.

A internet pode ajudá-lo a poupar

A massificação da internet tornou-a num catálogo quase infindável de produtos e serviços, onde poderá comparar preços, fazer simulações, mas também beneficiar das inúmeras campanhas promocionais. Para quê pagar mais por um produto ou serviço quando pode adquirí-lo por um preço mais reduzido?
Recomendadas

Governo também vai baixar duração máxima dos contratos a prazo no Estado para dois anos

“O Governo assume desde já o compromisso, como empregador, de emitir uma orientação a todos os serviços para respeitarem os tempos que estão previstos no Código do Trabalho”, disse o ministro do Trabalho.

Número de turistas no Algarve cresceu 9,3% no primeiro semestre de 2019

A Algarve recebeu, entre janeiro e junho, mais 9,3% de hóspedes do que no mesmo período de 2018, o que representa mais 3,3% de dormidas e um aumento de 7,9% nos proveitos totais, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

Produção no setor da construção cresce mais em Portugal do que na UE em junho

Em junho deste ano em comparação com o mês homólogo do ano passado, a produção média no setor da construção subiu 1% na zona euro e 0,6% na UE. Em Portugal, a subida foi maior, de 1,4%.
Comentários