PremiumSalários dos engenheiros vão crescer acima da média nacional

A escassez da oferta abre boas perspetivas, tanto na mobilidade de emprego como nos salários. Acentua-se a tendência dos engenheiros que optam por funções de gestão.

“A tendência é que os salários continuem a aumentar mais do que a média nacional e a inflação prevista para as outras áreas”. Carlos Andrade, senior executive manager da Michael Page no Porto, explica ao Jornal Económico que a procura de profissionais das áreas de engenharia continua a fazer sentir-se, ultrapassando em muitos casos a oferta, o que constitui um fator de pressão sobre os salários. “Segundo os nossos estudos – adianta ­– estimamos uma inflação na ordem de 7 a 8%, em média, para este setor”. A tendência de subida dos salários nas profissões que têm por base formação nos vários ramos de engenharia iniciou-se há dois, três anos e está para ficar.

No geral, tem vindo a intensificar a mobilidade em várias especialidades, pressionando outro ponto crítico: a mobilidade extra profissional. A passagem da engenharia para a gestão é “uma prática comum”, admite Carlos Andrade. “A verdade – explica – é que a maior parte dos engenheiros, ao fim de quatro ou cinco anos de experiência profissional, já procura tarefas de gestão. Os engenheiros veem isso como uma progressão natural de carreira, a evolução para tarefas de gestão”, justifica o responsável da Michael Page que auxilia as empresas a recrutar sem se exporem ao mercado.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Empresa de engenharia Quadrante entra na África do Sul

A Quadrante vai desenvolver o projeto de estruturas do futuro ‘Centro Comercial Fourways Mall’, em Joanesburgo, uma obra que será realizada em parceria com a Mota – Engil.

Claranet vai criar academia para formar até 80 profissionais em TI por ano

“Também podem participar pessoas que trabalhem em Tecnologias da Informação há 10 ou 15 anos numa área que está a desaparecer, por exemplo”, disse ao Jornal Económico Vasco Afonso, head of Public Cloud da tecnológica britânica.

82% das empresas portuguesas querem contratar este ano

Segundo o grupo Hays, 2019 será um bom ano em matéria de criação de emprego. Perfis comerciais, de tecnologias de informação e engenheiros lideram a lista dos mais procurados pelas empresas.

Emprego na tecnologia cresceu 6,4% em Portugal (acima da média europeia)

O relatório “O Estado da Tecnologia Europeia 2018”, elaborado pela sociedade de capital de risco Atomico em parceria com a Slush e a Orrick, concluiu que a indústria europeia de software contribui com cerca de 400 mil milhões de euros para a economia do ‘Velho Continente’.
Recomendadas

Estudo da GfK diz que ‘propensão para comprar em Portugal’ está abaixo da média europeia

Neste parâmetro, o consumidor que apresenta mais predisposição para comprar é o alemão, enquanto o consumidor espanhol é o que tem menos vontade de adquirir produtos/serviços.

Cuidado com os descontos na eletricidade e no gás, alerta o regulador

O regulador de energia aconselha os clientes a informarem-se antes de assinarem documentos que lhes dá um suposto desconto.

Sabe quanto pode custar, em média, um casamento?

Um casamento não tem necessariamente de ser algo caro, a menos que se prepare uma festa memorável, como costuma ser o caso. Por isso, fizemos as contas e damos-lhe uma ideia de quanto custa casar em Portugal.
Comentários