Santa Maria garante que urgência de ginecologia não fechará nenhum dia

O presidente do conselho de administração, Carlos Martins, reconheceu à Lusa que esse foi “um dos muitos cenários discutidos” em reunião de médicos, mas sublinhou que a administração nunca tomou essa decisão.

O hospital Santa Maria, Lisboa, garantiu este sábado que a urgência de ginecologia e obstetrícia não irá fechar nenhum dia por semana, apesar de assumir que chegou a ser “um dos muitos cenários de trabalho” equacionados em reunião dos serviços.

“A urgência de ginecologia e obstetrícia não vai fechar. O conselho de administração não teve nem tem essa decisão em cima da mesa. Seria de todo impensável que essa situação ocorresse num hospital universitário e num hospital como é o Santa Maria”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente do Centro Hospitalar Lisboa Norte, Carlos Martins.

Hoje o Diário de Notícias refere que “o diretor do departamento de ginecologia e obstetrícia do hospital Santa Maria, em Lisboa, quer fechar a urgência da especialidade dois dias por semana já a partir de fevereiro”. Em causa está a carência de enfermeiros especialistas.

O presidente do conselho de administração, Carlos Martins, reconheceu à Lusa que esse foi “um dos muitos cenários discutidos” em reunião de médicos, mas sublinhou que a administração nunca teve essa decisão em cima da mesa.

O administrador admite que o Centro Hospitalar tem tido a preocupação de tentar encontrar soluções para a carência de enfermeiros especialistas em saúde materna e obstétrica, ou através da contratação ou reorganizando os serviços.

“Houve e há preocupações quando olhamos para o número de enfermeiros saídos e para as previsões de saídas”, indicou à Lusa, adiantando que só para o setor privado foram seis enfermeiros especialistas do Santa Maria.

Segundo Carlos Martins, estas preocupações originam discussões de trabalho e elaboração de cenários diversos para reorganizar os serviços.

De acordo com o Diário de Notícias de hoje, “a intenção” – agora afastada pelo administrador do hospital – foi comunicada aos médicos do serviço de ginecologia numa reunião na quinta-feira.

Ler mais
Recomendadas

PremiumOrçamento do SNS vai crescer menos do que a economia em 2019

Nova ministra vai ter mais 523 milhões de euros no orçamento, mas as transferências para o Serviço Nacional de Saúde vão crescer apenas 2%. No bolo do sector está incluído o avanço nos processos de construção de cinco novos hospitais.

Saúde: reclamações dos utentes aumentam 72% até setembro

Mau atendimento, tempos de espera, falta de informações e falta de condições são os principais motivos das queixas apresentadas pelos portugueses nos primeiros nove meses deste ano.

Sindicatos médicos contestam critério de redução de listas de utentes

Os sindicatos médicos consideram a proposta de Orçamento do Estado “meramente eleitoralista” e contestam que a redução da lista de utentes por médico de família fique dependente de 99% dos portugueses terem médico atribuído.
Comentários