Santander entre os potenciais compradores do banco polaco do Société Générale

Para além do Santander e do BCP, o Credit Agricole já havia sido apontado como interessado no Eurobank, avança a Reuters.

O espanhol Santander faz parte de uma lista de potenciais compradores do Eurobank, o banco polaco do  Société Générale, avança a Reuters que cita duas fontes do setor bancário.

A confirmar-se é a segunda operação do Santander na Polónia num curto espaço de tempo.  O Santander comprou o negócio do Deutsche Bank Polska, numa operação custou ao banco espanhol 305 milhões de euros e deu-lhe 113 agências e 1.500 trabalhadores.

A Reuters tinha noticiado no início deste mês que o Société Générale estava a estudar uma venda do Eurobank, dada a crescente pressão competitiva no setor.

A Reuters diz que o Credit Agricole está interessado no Eurobank, e  cita fontes que apontam também para o Millennium de Portugal como potencial comprador.

“O Santander BZ WBK estará a jogo”, disse uma fonte do setor bancário à agência, acrescentando que o Credit Agricole também está interessado, já que o banco francês tem de decidir se vai expandir-se ou sair da Polónia.

O Eurobank é o 17º maior banco polaco, com ativos de 14 mil milhões de zlotys (3,2 mil milhões de euros), e é 20 vezes mais pequeno que o maior banco do país, o PKO Bank Polski. No ano passado, o Eurobank teve um lucro líquido de 103 milhões de zlotys (23,7 milhões de euros).

A venda do Eurobank reforçaria uma tendência mais ampla de consolidação do setor bancário poloco, que acelerou nos últimos anos, à medida que a eurocrítica Law and Justice (PiS), que governa o país, encorajava a propriedade doméstica.

No início deste ano, o grupo polaco BGN BNP Paribas, do BNP Paribas, concordou em comprar o banco polaco Raiffeisen, depois de vários meses antes o BZ WBK do Santander ter assinado um contrato para comprar alguns activos da divisão polaca do Deutsche Bank.

Ler mais
Recomendadas

Morgan Stanley regista lucro e receita acima do esperado no quarto trimestre

A receita, por sua vez, subiu de 10,9 mil milhões de dólares nos últimos três meses de 2019 para 13,6 mil milhões nos meses de outubro a dezembro do ano passado, superando as previsões dos analistas.

BEI mobiliza 50 mil milhões de euros para ajudar PME no primeiro semestre

O Banco Europeu de Investimento (BEI) planeia mobilizar cerca de 50.000 milhões de euros de financiamento no primeiro semestre para ajudar as PME através do novo fundo de garantia criado para lidar com as consequências da pandemia, foi anunciado.

Goldman Sachs e Bank of America surpreendem nos lucros em plena pandemia

Os maiores bancos dos Estados Unidos resistiram à recessão trazida pela pandemia do coronavírus, mas não ficaram imunes às baixas taxas de juro que a crise gerou. O Goldman Sachs teve a melhor receita de ‘trading’ de ações em 10 anos o que compensou a atividade bancária.
Comentários