Santander tem 1,5 milhões de euros para ajudar estudantes e universidades

O banco liderado por Pedro Castro e Almeida tem fundos para apoiar no imediato os alunos que se encontram em situação económica de emergência. Em setembro serão disponibilizadas mil bolsas de apoio social.

O Sandanter Totta, em conjunto com  50 instituições de ensino superior em Portugal, tem 1,5 milhões de euros destinados a promover iniciativas de apoio aos estudantes e famílias portuguesas de forma a minimizar os dados económicos e sociais com origem na crise da Covid-19.

No imediato, os programas de mecenato entre o Santander e as universidades têm já disponibilizados fundos para alunos que se encontram “em situação de emergência económica”, referiu a instituição financeira liderada por Pedro Castro e Almeida. E, a partir de setembro, mil alunos poderão beneficiar de bolsas de apoio social.

“As várias instituições estão a utilizar fundos do banco para apoio aos estudados que começarem a sentir os efeitos económicos e sociais da pandemia”, lê-se na nota.

Outra das medidas consiste no suporte do ensino à distância através da “aquisição de computadores e equipamento informático”. Esta medida abrange ainda os funcionários das universidades, de forma a potenciar o respectivo teletrabalho.

Os fundos do Santander terão ainda um papel relevante na área da saúde ao reforçarem o papel das universidades e dos politécnicos no combate ao novo coronavírus, “adaptando os seus laboratórios para a produção de testes e utilizando impressoras 3D para a produção de equipamento de proteção para o pessoal de saúde que tanto escasseiam no mercado”.

“Cada universidade ou instituto politécnico selecionará ainda medidas locais que pretende realizar, tendo em conta as necessidades mais proeminentes das cidades em que estão inseridas”, explicou o banco.

O Santander vai também criar um fundo para acelerar projetos de impacto social ligados ao novo coronavírus que estão a ser desenvolvidos por voluntários das universidades.

Ler mais
Relacionadas

Grupo de empresas que inclui Explorer, ECS, Ascendi, Galp e Santander doa 126 ventiladores no valor de dois milhões de euros

O grupo de empresas doadoras é composto pela Gotan SGPS, Ascendi, Explorer Investments, Banco Santander, Galp; ECS  Capital, Boutique dos Relógios e Riba Capital.

Santander “detém uma almofada de liquidez de 11 mil milhões”

O Banco Santander Portugal revela ao Jornal Económico, que não tem exposição a dívida italiana e tem solidez de balanço e de capital que permite acomodar os impactos adversos desta crise. A instituição liderada por Pedro Castro e Almeida diz que tem “assistido a uma crescente utilização das plataformas digitais”.

Santander Totta já doou 600 mil euros para aquisição de material hospitalar

O banco liderado por Pedro Castro e Almeida já canalizou 600 mil euros para a compra de material hospitalar ao abrigo de diversas iniciativas a que se tem juntado.
Recomendadas

Commerzbank encerra filial de Barcelona e quer vender a do Brasil

Ao apresentar os resultados de 2020, o Commerzbank, que registou perdas de quase 2.900 milhões de euros, indicou que queria encerrar agências e representações fora da Alemanha, retirando-se de 15 pontos internacionais.

Dívida pública recuou em janeiro depois de ter atingido máximo histórico

A dívida recuou 600 milhões entre dezembro e janeiro refletindo “essencialmente amortizações de títulos de dívida, no valor de 0,3 mil milhões de euros, e a redução de responsabilidades em depósitos no valor de 0,2 mil milhões”, de acordo com o Banco de Portugal.

PremiumRestruturação da dívida da TAP não agrava malparado dos bancos

Bancos aceitaram adiar o pagamento da dívida da TAP em um ano e meio. Mas cartas-conforto do Estado evitam que classifiquem como malparado.
Comentários