Santander Totta impede clientes de receberem dinheiro investido em criptomoedas

“O Banco Santander Totta não processa transferências com origem em negócios relacionados com bitcoin”, revela uma carta enviada pela empresa de câmbio Bitstamp.

Cristina Bernardo
Ler mais

Os clientes do Santander Totta que investem em moedas virtuais foram impedidos de receber em euros o dinheiro em criptomoeda que tinham investido. Os cidadãos não conseguiram fazer transferências em euros para as suas contas bancárias de valores oriundos de bolsas da SEPA (Área Única de Pagamentos em Euros), conta o “Diário de Notícias/Dinheiro Vivo” desta sexta-feira.

O DN/DV refere que alguns clientes já mudaram de banco por causa deste inconveniente, mas a entidade bancária não fez comentários sobre a medida que terá sido implementada no final do ano passado.

“O Banco Santander Totta não processa transferências com origem em negócios relacionados com bitcoin. Isto significa que qualquer transferência para o seu banco seria rejeitada e devolvida para a Bitstamp”, revela uma carta enviada pela empresa de câmbio Bitstamp a um cliente do banco liderado por António Vieira Monteiro.

A empresa de câmbio de bitcoins sediada no Luxemburgo permite a negociação entre dólares e bitcoin e depósitos e levantamentos em dinheiro de dólares, euros, bitcoin, litecoin ou ethereum.

Especial 2018: A bolha das criptomoedas vai rebentar?

Relacionadas
“Vão acabar mal”. Warren Buffett garante que não vai investir em bitcoin
O norte-americano que criou um império, e é visto como trendsetter do investimento, vê um cenário desastroso para as criptomoedas. Diz não saber quando ou como, mas acredita que o final não vai ser positivo.
Kodak cria moeda virtual e ações disparam
A multinacional anunciou uma parceria com a WENN Digital para entrar no mercado das criptomoeda.
Recomendadas
Governo de Espanha pondera penalizar os proprietários de apartamentos vazios
No âmbito de uma reforma da Lei de Arrendamentos Urbanos, o Governo liderado por Pedro Sánchez pretende também aumentar a duração dos contratos de arrendamento e colocar no mercado mais de 20 mil imóveis de carácter social.
UTAO: dívida pública fixou-se em 125,8% do PIB no 2º trimestre
Dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, atingiu 246,7 milhões de euros, o que corresponde a 125,8% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 131,7% no final de junho de 2017.
Facebook está a contratar diretor para departamento de direitos humanos
Facebook tem uma vaga para o cargo de Director of Human Rights Policy.
Comentários