São Tomé assumirá a próxima presidência da CPLP

De acordo com Santos Silva, a proposta partiu da Guiné-Bissau, que também se tinha mostrado interessada em assumir a presidência.

São Tomé e Príncipe vai assumir a presidência da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) entre 2023 e 2025, revelaram hoje responsáveis diplomáticos à Lusa, indicando que a solução foi proposta por Guiné-Bissau.

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, declarou como uma “boa notícia” o “acordo” que se obteve hoje durante uma reunião informal de chefes da diplomacia dos Estados-membros da CPLP, em Nova Iorque, de que a presidência da organização lusófona ficará a cargo de São Tomé e Príncipe, após o mandato atual de Angola.

De acordo com Santos Silva, a proposta partiu da Guiné-Bissau, que também se tinha mostrado interessada em assumir a presidência.

“Não só não houve nenhuma disputa, como houve este gesto de enorme significado que foi ser a Guiné-Bissau a propor a solução que validámos”, sublinhou o ministro português.

O secretário-executivo da organização, Zacarias da Costa, declarou à Lusa, por telefone, que o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, “deixou uma mensagem clara, através da ministra dos Negócios Estrangeiros, Suzi Barbosa, de que veriam com bons olhos que São Tomé assumisse a presidência e depois, então, seria Guiné-Bissau”.

Ambos os países, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, tinham mostrado o seu interesse em estar à frente da CPLP depois da atual presidência de Angola, que termina em 2023.

Na conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, realizada em julho em Luanda, a decisão sobre a próxima presidência da CPLP foi adiada, com o argumento de que estavam em curso eleições presidenciais em São Tomé e Príncipe.

Após o ato eleitoral, disse Zacarias da Costa, o próprio Presidente eleito de São Tomé e Príncipe, Carlos Vila Nova, manifestou “vontade de São Tomé poder assumir a presidência rotativa da CPLP em 2023 – 2025”.

Hoje, segundo Zacarias da Costa, “houve no discurso da senhora ministra da Guiné-Bissau a saudação da possível presidência de São Tomé e Príncipe”.

Recomendadas

Mota-Engil entre os interessados na gestão do corredor do Lobito

Os representantes das empresas visitaram as Oficinas gerais do Caminho de Ferro de Benguela e o local onde vai ser instalado o Terminal de Trânsito de Mercadorias, no Compão, iniciando uma série de visitas técnicas para constatar o estado atual e operacionalidade das infraestruturas.

Bancos centrais devem agir com “prudência, flexibilidade e firmeza”, diz Mário Centeno

“Numa fase de recuperação, mas com incerteza, a atuação e comunicação dos bancos centrais deve pautar-se pela prudência, flexibilidade e firmeza”, disse o governador do Banco de Portugal na intervenção inicial no XXXI Encontro de Lisboa entre os Bancos Centrais dos PALOP.

“Quem não deve, não teme”, diz presidente angolano sobre Isabel dos Santos (com áudio)

João Lourenço diz que o regresso de José Eduardo dos Santos a Angola é “bom para todos” e garante que o Estado angolano continua interessado em vender partes das empresas públicas Sonangol, Endiama e TAAG.
Comentários