PremiumSaúde está primeiro e Solidariedade vem logo a seguir nas prioridades

Luta contra a pandemia sobe gastos nos ministérios liderados por Marta Temido e Ana Mendes Godinho. Outras pastas sociais saem reforçadas, em contraciclo com a estagnação ou até retrocesso nas verbas para áreas económicas e de soberania.

A pandemia que tomou conta do mundo, e fez com que o excedente orçamental de 2020, primeiro da democracia portuguesa, seja uma recordação distante e dificilmente repetível, também deixou a sua marca na previsão de despesa dos 19 ministérios do XXII Governo Constitucional, com um substancial reforço para as pastas da Saúde e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, precisamente as que estão na “linha de frente” dos cuidados de saúde e do apoio social decorrente da Covid-19.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumRedes Sociais: Censura e autorregulação

A decisão de suspender ou banir Donald Trump das redes sociais trouxe uma nova realidade que está longe de ser consensual. Muitos governantes e académicos lembram que a liberdade de expressão é um direito, mas a estreita linha que separa o discurso de ódio e a desinformação, e o poder das ‘grandes tecnológicas’, geram novos desafios à democracia.

PremiumEstados Unidos no princípio do fim da era Trump

A proximidade a Donald Trump vai começando a ser considerada tóxica entre os republicanos: as hostes do presidente diminuem todos os dias. Mas os primeiros tempos de Joe Biden na Casa Branca podem ser um tormento.

PremiumDuarte de Athayde: “Apesar da crise, o nosso volume de negócios subiu 13%”

O ‘managing partner’ da Abreu Advogados refere que, apesar do travão que as restrições causaram, a sociedade teve uma subida de, pelo menos, 18% na cobrança de honorários.
Comentários