Saudi Aramco cancela ‘roadshow’ internacional

Estava previsto que executivos da Saudi Aramco viajassem para cidades norte-americanas, asiáticas e europeias para reunirem com potenciais investidores, mas essas reuniões agora deverão ser circunscritas a investidores da Arábia Saudita, Emiratos Árabes Unidos, Bahrain e Omã.

Bloomberg Finance LP

A Saudi Aramco cancelou o roadshow internacional que tinha previsto fazer para angariar investidores para dispersão do capital em bolsa.

A empresa estatal do Reino da Arábia Saudita centra agora as atenções em investidores locais, próximos do Golfo Pérsico, depois de nenhum investidor europeu ter apresentado uma proposta, noticia a imprensa internacional.

Estava previsto que executivos da Saudi Aramco viajassem para cidades norte-americanas, asiáticas e europeias para reunirem com potenciais investidores, mas essas reuniões agora deverão ser circunscritas a investidores da Arábia Saudita, Emiratos Árabes Unidos, Bahrain e Omã.

A gigante petrolífera anunciou este domingo que pretende colocar 1,5% do capital social na bolsa de Riade – 0,5% destinados a investidores de retalho e 1% para investidores institucionais.

A operação avalia a Saudi Aramco entre 1,6 biliões e 1,7 biliões de dólares, com o intervalo do preço das ações fixado entre oito e 8,5 dólares, acima do que os investidores institucionais internacionais estão dispostos a pagar.

Esta operação deverá trazer entre 24 e 25,5 mil milhões de dólares (entre 21,8 e 23 mil milhões de euros).

A empresa afirma ter 200 mil milhões de ações regulares, pelo que uma participação de 1,5% na empresa seria cerca de 3 mil milhões de ações.

Assim, a participação de 1,5%, ao preço máximo (8,5 dólares) permitirá captar 25,5 mil milhões de dólares, e ao preço mínimo permitirá captar 24 mil milhões de dólares.

Isso colocaria a avaliação global da empresa entre 1,6 e 1,7 biliões de dólares norte-americanos.

A subscrição de ações por investidores privados termina em 28 de novembro, que serão unicamente da Arábia Saudita por decisão da empresa, e até 4 de dezembro segue-se a subscrição para investidores institucionais.

No dia 4 de dezembro será anunciado qual será o preço final da oferta.

 

Ler mais

Relacionadas

Petrolífera saudita Aramco coloca participação de 1,5% em bolsa

“A primeira oferta incidirá sobre 1,5% das ações da empresa”, disse a Aramco, num comunicado em que se afirma que a faixa do preço das ações foi fixada entre os 8 e os 8,5 dólares norte-americanos.

Saudi Aramco começa este domingo o período de subscrição de ações

A maior oferta pública de venda (OPV) de ações da história começa amanhã e estará aberta até ao dia 28 de novembro para investidores privados que somente serão sauditas por decisão da empresa e até 4 de dezembro para investidores institucionais.

OPEP admite que a produção de petróleo dos EUA aumentará 1,5 milhões de barris diários em 2020

O relatório de novembro da OPEP reviu em alta a produção petrolífera para 2020 dos países não-OPEP, com um crescimento de 2,17 milhões de barris de petróleo diários, impulsionados sobretudo pelo aumento previsível da produção dos EUA, agora estimado em mais 1,5 milhões de barris de petróleo diários durante o próximo ano.
Recomendadas

Altri e Navigator impulsionam PSI 20 no fecho da sessão

Praça lisboeta fechou a sessão desta sexta-feira com uma subida de 0,86% para 5.172,86 pontos, seguindo a tendência das congéneres europeias.

Emprego norte-americano dá ânimo a Wall Street

Em novembro, foram criados 266 mil novos postos de trabalho nos Estados Unidos, 47% acima das estimativas, que apontavam para a criação de 180 mil novos empregos. A taxa de desemprego caiu mais do que o era esperado, para os 3,5% – previsa-se que ficasse nos 3,6%, idêntica à taxa registada no mês de outubro.

Wall Street sem gás à espera de dados económicos

Um número que a ser alcançado não belisca a ideia bem estabelecida nos analistas de que é a força do mercado de trabalho que está a sustentar o crescimento económico.
Comentários