Secretário da Cultura brasileiro vai ser afastado do cargo depois de citar discurso de propaganda nazi

O secretário da Cultura brasileiro fez um inspirado nas palavras de Goebbels, o ministro da propaganda de Hitler.

O secretário da Cultura brasileiro foi demitido esta sexta-feira depois de se ter inspirado num discurso do ministro da propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels.

O governante inspirou-se neste dicurso para divulgar um concurso, o Prémio Nacional das Artes, lançado horas antes com a participação do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

“A arte brasileira da próxima década será heróica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada”, disse Roberto Alvim, que publicou um vídeo do discurso nas redes sociais.

A frase foi comparada a um discurso de Goebbels reproduzido no livro “Goebbels: a Biography“, de Peter Longerich: “A arte alemã da próxima década será heróica, será ferramenta romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

Segundo a notícia avançada pela Folha de S. Paulo, a secretaria Especial da Cultura informou que o secretário Roberto Alvim será demitido do cargo após parafrasear o polémico discurso.

A demissão foi conhecida hoje após a repercussão do caso e contestações políticas e públicas.

Ler mais
Recomendadas

Tomada de posse de Biden marcada pela segurança e sem qualquer distúrbio

As preocupações com segurança no dia da transição de poder nos EUA levou a um aparato nunca antes visto em Washington, mas também nos Capitólios estatais por todo o país. A cerimónia correu, ainda assim, sem imprevistos ou distúrbios.

Tomada de posse de Joe Biden: 23 minutos de apelo à unidade

Num discurso praticamente monotemático, o novo presidente dos Estados Unidos afirmou saber as causas da fratura em que o país vive e pediu a todos que se lhe juntem para salvar a democracia. Trump, o assalto ao Capitólio e a Covid-19 foram os temas omnipresentes.

Morgan Stanley regista lucro e receita acima do esperado no quarto trimestre

A receita, por sua vez, subiu de 10,9 mil milhões de dólares nos últimos três meses de 2019 para 13,6 mil milhões nos meses de outubro a dezembro do ano passado, superando as previsões dos analistas.
Comentários