Seguros: Famílias sem rendimentos ou monoparentais têm nova solução para proteger crianças

Visando aproximar-se do público jovem, a CA Vida inaugurou um espaço na KidZania, sendo a seguradora oficial do parque temático, a primeira KidZania na Europa a representar a atividade e a profissão.

A pensar nas famílias, cuja preocupação principal seja salvaguardar o pagamento das despesas de educação e formação dos mais pequenos, bem como nas famílias com cônjuge sem rendimentos ou monoparentais, onde existe uma grande dependência financeira num único elemento do agregado familiar, a CA Vida, seguradora Vida do grupo Crédito Agrícola acaba de lançar o “CA Vida Educação”.

Uma solução que, segundo explica António Castanho, presidente da CA Vida, em entrevista ao JE, é “a evolução natural de um outro produto disponibilizado exclusivamente como seguro de vida, e que vem responder de forma mais eficiente a uma das preocupações mais prementes das famílias, a proteção das suas crianças”.

E estas respostas diferenciam-se, por exemplo, na proteção da criança ou jovem no seu dia-a-dia incluindo nos momentos de lazer com as coberturas de Internamento e Despesas de Tratamento e Deslocação, “o que torna este produto apelativo e diferenciador face ao praticado pelos restantes players do mercado segurador em Portugal”, reforça o responsável.

Mesmo em situações limite (morte ou invalidez da Pessoa Segura), o CA Vida Educação garante o pagamento de um rendimento para fazer face às despesas de educação, assegurando a formação e a concretização dos sonhos. Além disso, minimiza os “azares” das brincadeiras, com as coberturas de internamento, por doença, acidente ou gravidez e despesas de tratamento e deslocação por acidente.

“Desenvolvemos uma solução adaptável à realidade educacional de cada família e à sua capacidade financeira, fortemente recomendada para famílias onde exista uma grande dependência financeira num único elemento do agregado familiar”, salienta.

Brincar aos agentes de seguros para fazer a diferença na literacia financeira 

No âmbito desta aproximação ao público mais jovem, a CA Vida inaugurou um espaço na KidZania, sendo a seguradora oficial do parque temático, a primeira KidZania na Europa a representar a atividade e a profissão.

Como técnicos de seguros, as crianças podem circular nesta cidade e perceber como os seguros estão relacionados com as outras atividades e com a vida das pessoas: num incêndio, na oficina, na escola ou no hospital. As próprias crianças podem vender o CA Kids Seguro a outras crianças ou pais. De uma forma divertida e dinâmica, as crianças podem aprender o que é ser técnico de seguro, como profissão, mas também a importância dos seguros ao longo da vida.

Sobre este desafio, António Castanho realça que a “cultura de segurar riscos foi sempre muito importante para o desenvolvimento das sociedades”. Em seu entender, do ponto de vista do indivíduo, “ao repor o seu património, ao substituir-se nas responsabilidades assumidas e ao disponibilizar os meios financeiros para que os familiares possam prosseguir a sua vida sem restrições, a fim de serem felizes e pessoas de sucesso, os seguros, mais do que recorrer a terceiros, são o garante das famílias”.

E é neste sentido que, para a CA Vida, “é importante despertar as crianças, os futuros adultos, para o mundo dos seguros para que entendam a sua relevância, o porquê da sua existência e de que forma podem marcar no nosso quotidiano. Só assim os futuros adultos, podem, no futuro, sentir os seguros como vitais”, detalha ainda.

Considerando que tema “é cinzento e muito pouco óbvio para crianças e jovens”, não deixa de sublinhar que é precisamente isso que faz do objetivo de sensibilização e educação das famílias, um desafio ambicioso para a CA Vida. “Acreditamos que a proximidade às famílias e às crianças será a melhor estratégia, adotando uma comunicação forte, apelativa e simultaneamente didática, o que nos conduziu à Kidzania, ao parceiro ideal para responder eficientemente à necessidade de aproximação às novas gerações e nos apoiar na implementação do nosso projeto de literacia financeira”.

 

Ler mais
Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.

Miguel Maya: Financiamento do Fundo de Resolução tem de ser analisado com cuidado e rigor

Miguel Maya transmitiu esta posição à margem da V Cimeira do Turismo Português, que está hoje a decorrer em Lisboa, depois de ter sido questionado sobre a possibilidade de virem a ser encontradas fontes de financiamento alternativas ao Fundo de resolução sem ser através de empréstimos públicos.
Comentários