Sem palhinhas, sacos e garrafas: Cascais e Estoril vai ser freguesia sem plásticos

Este movimento inspirou-se numa campanha de sucesso, realizada em Cornwall, Inglaterra, que sensibiliza as populações para os danos que os plásticos descartáveis, em particular, as palhinhas, podem causar aos oceanos”.

A freguesia de Cascais e Estoril vai abolir os plásticos nos seus serviços, nomeadamente as palhinhas, sacos ou garrafas.

Para o efeito, a respetiva Junta de Freguesia  assinou uma parceria com o Movimento Claro Cascais, tendo já despachado a medida que não permitirá a utilização de plástico nos serviços da Junta.

Pedro Morais Soares, presidente da Junta de Freguesia de Cascais e Estoril, considera que “é essencial que se produza uma mudança de atitude de todos nós relativamente à proteção do meio ambiente e a administração pública, nomeadamente a local, tem um papel importante nessa sensibilização”.

“É do conhecimento público que, em geral, um terço do lixo doméstico é composto por resíduos plásticos. Consideramos este valor preocupante pelo que nos orgulhamos do passo que vamos dar relativamente à abolição dos plásticos nos nossos serviços”, acrescenta este responsável.

A iniciativa da Junta de Freguesia de Cascais e Estoril nasceu de uma parceria com o Movimento Claro Cascais, “um grupo criado por três estudantes cascalenses com o objetivo de sensibilizar a população de que progresso não deve ser sinónimo de violação ambiental”.

“Este movimento inspirou-se numa campanha de sucesso, realizada em Cornwall, Inglaterra, que sensibiliza as populações para os danos que os plásticos descartáveis, em particular, as palhinhas , podem causar aos oceanos”, explica um comunicado da referida Junta de Freguesia.

 

Este documento sublinha que, segundo o Ministério do Ambiente Brasileiro, cerca de 80% das embalagens plásticas são descartadas após uma única utilização, acrescentando que, recentemente, foi descoberta uma quantidade de lixo a flutuar no oceano pacífico com uma área que equivale a duas vezes o território dos EUA.

 

Ler mais
Recomendadas

Manifestação ecologista no terminal de jatos privados de Genebra reúne uma centena de pessoas

Cerca de uma centena de pessoas juntaram-se este sábado no aeroporto de Genebra, respondendo a um apelo do movimento ecologista Extinction Rebellion para bloquear o acesso ao terminal reservado a jatos privados e exigir o fim deste modo de transporte.

Lisboa quer chegar ao fim de 2020 com quatro mil compostores

A instalação de painéis solares para dar energia a automóveis ou o aproveitamento de óleos alimentares para se transformarem em energia para carros que usem combustíveis fósseis foram outras medidas anunciadas pelo vereador Carlos Castro nas 11ªas Jornadas Técnicas Internacionais de Resíduos que estão a decorrer na capital até à próxima segunda-feira.

Ministro da Educação destaca retirada de amianto das escolas mas problema não acabou

O Ministério da Educação removeu “muitos milhares de metros quadrados de placas com amianto” das escolas nos últimos quatro anos, mas o ministro reconhece que ainda há trabalho a fazer.
Comentários