Sem surpresas, Fed volta a subir as taxas de juros

Reserva Federal norte-americana subiu em 25 pontos percentuais as taxas de juro. Este é o segundo aumento do ano e o terceiro em seis meses.

Reuters

A Reserva Federal norte-americana subiu como esperado o intervalo da taxa de fundos federais em 25 pontos base, para entre 1% e 1,25%, a mesma escala de aumento anunciada em março. Este é o segundo aumento do ano e o terceiro em seis meses.

O anúncio foi feito no final da reunião de dois dias do Federal Federal Open Market Committee (FOMC), numa altura em que se especula sobre as nomeações para dois dos três lugares vagos no Conselho dos Governadores e que serão feitas por Donald Trump, em breve.

A Fed justificou a decisão com os dados da economia norte-americana, nomeadamente o crescimento económico e o crescimento do mercado de trabalho, sublinhando acreditar que a inflação abaixo dos 2% será transitória.

O organismo liderado por Janet Yellen apontou, ainda, que pretende reduzir o número de títulos de tesouro e títulos de hipoteca, adquiridos sobretudo durante a crise financeira entre 2007 e 2009 e no período de recessão.

“O comité atualmente espera começar a implementar um programa de normalização do balanço este ano, desde que a economia evolua amplamente como antecipado”, frisa a Fed em comunicado.

O banco central norte-americano continua assim a normalização da política monetária, iniciada em 2015, após ter pressionado as taxas para perto de 0% durante a crise financeira.

[Notícia atualizada às 19h24]

Ler mais

Relacionadas

Subida previsível dos juros eleva expetativa sobre planos da Fed

Os mercados estão convictos que Janet Yellen vai anunciar uma subida das taxas dos ‘federal funds’. Com essa certeza, o foco transita para o calendário de novos aumentos ao longo do ano e a estratégia para o fim dos estímulos à economia.
Recomendadas

Comissão Europeia vai emitir 800 mil milhões de euros em dívida. Qual é a estratégia?

A Comissão Europeia quer emitir 150 mil milhões de euros por ano, em média, até 2026 para financiar o NextGeneration EU. Leilões de Obrigações e títulos de curto prazo e vendas sindicadas estão previstas na estratégia, cujas primeira emissão prevista para o verão, aguarda a decisão de recursos próprios dos Estados-membros.

S&P 500 renova máximos e fecha quarta semana seguida de ganhos em mais uma sexta-feira no verde em Wall Street

Também o Dow Jones voltou a fechar acima da barreira histórica dos 34 mil pontos, com a recuperação económica dos EUA a ganhar um claro ímpeto. As tecnológicas fogem à tendência de ganhos, bem como os grandes bancos norte-americanos, apesar dos resultados trimestrais fortes.

‘Novas’ ações da EDP Renováveis foram admitidas à negociação

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa informa ainda que a admissão à negociação das ‘novas’ ações surge depois de a EDPR ter feito o registo do aumento de capital de 1.500 milhões de euros.
Comentários