Semapa, Navigator e Pharol lideram ganhos do PSI-20

No quadro de uma Europa mista, ainda a digerir os PMI de vários países europeus, o principal índice bolsista nacional sobe 1,41% para 4.158,24 pontos.

Simon Dawson/Reuters

A meio da sessão desta quinta-feira, o PSI-20 mantém a tendência positiva. No quadro de uma Europa mista, ainda a digerir os PMI (Purchasing Managers’ Index – que mede a atividade empresarial da zona euro) de vários países europeus, o principal índice bolsista nacional sobe 1,41% para 4.158,24 pontos.

A liderar os ganhos na bolsa de Lisboa estão as empresas da pasta e do papel Navigator (+3,72%, para 2,34 euros) e Semapa (+3,88%, para 0,10 euros) e a gestora de participações Pharol (+3,02%, para 0,68 euros). Já a Sonae Capital e a EDP Renováveis estão em contraciclo com perdas de 0,24% e 0,57%, respetivamente.

Hoje, os investidores estarão atentos à reunião do Conselho Europeu, onde os 27 Estados-membros da União Europeia irão debater, através de videoconferência, o programa conjunto de medidas económicas para mitigar os efeitos da pandemia de Covid-19. A marcar o sentimento do mercado está ainda o facto de ontem o Banco Central Europeu ter aceitado junk bonds como garantias de empréstimos.

Entre as principais praças europeias não há uma tendência definida. O índice alemão DAX resvala 0,29%, o britânico FTSE 100 perde 0,19%, o francês CAC 40 sobe 0,13%, o holandês AEX desliza 0,08%, o espanhol IBEX 35 soma 0,49% e o italiano FTSE MIB ganha 0,83%. O Euro Stoxx 50 está a ser marcado por uma valorização de 0,83%.

“Sessão está também a ser marcada pelas diversas apresentações de resultados de empresas como Daimler (+1,3%), Renault (+2%), Volvo (-5,7%), Unilever (-1,7%), Accor (+2,3%) ou Credit Suisse (-2%)”, refere Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, numa nota de mercado publicada esta manhã.

Quanto ao ‘ouro negro’, o preço do tipo de petróleo produzido no Texas (WTI) – que no início desta semana esteve em valores negativos – mantém-se agora a subir (+13,13%), para 15,59 dólares por barril, enquanto a cotação do barril de Brent está a valorizar 8,10% para 22,02 dólares.

“Entre os fatores de alívio, temos o anúncio do grande fundo de petróleo USO, que decidiu dividir a sua posição entre um maior número de séries de contratos. Temia-se que o rollover em massa das suas posições nos contratos de futuros de 20 de junho arrastasse os preços novamente para níveis negativos. Ainda assim, os fundamentos do preço continuam frágeis”, explica André Pires, analista da XTB.

Em relação ao mercado cambial, o euro deprecia 0,32% face ao dólar (1,0787) e a libra esterlina “valoriza” 0,31% perante a divisa dos Estados Unidos (1,2370).

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha misto, alavancado pelas tecnológicas

Os principais índices bolsistas dos Estados Unidos encerraram no vermelho – com a exceção do tecnológico Nasdaq, que fechou a ganhar mas apenas ligeiramente. O dia ficou marcado pela divulgação dos resultados de várias empresas

BCP, Altri e Galp recuam e põem PSI-20 em rota descendente em linha com a Europa

A banca puxou o IBEX para as maiores perdas da Europa à custa dos resultados do Santander. O BCP não escapou e fechou em queda significativa no dia em que os lucros da unidade polaca caem 75%. A Galp e a Altri lideraram as perdas num índice com 13 ações em queda.

Wall Street abre mista com Nasdaq em alta

Destaque para as reações positivas às contas da Harley-Davidson, Nxp Semiconductors, AMD, Merck & Co e JetBlue. A Xilinx também segue animada. No plano macroeconómico foi revelado que as encomendas de Bens Duradouros nos EUA apresentaram um bom registo em setembro.
Comentários