Setor das obras públicas com variações positivas no final do terceiro trimestre de 2020

O total de empreitadas de obras públicas objeto de celebração de contrato e registo no Portal Base até final do terceiro trimestre, foi de 2.070 milhões de euros, mais 3% que o verificado em 2019″, conclui o mais recente barómetro do setor, efetuado e divulgado pela AICCOPN.

Reuters

No final do terceiro trimestre do ano, o volume total de concursos de obras públicas promovidos atingiu os 3.750 milhões de euros, mais 16% que o apurado no período homólogo do ano passado, conclui o mais recente barómetro do setor, efetuado e divulgado pela AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas.

De acordo com um comunicado desta associação, “com efeito, apesar de algum abrandamento registado nos
últimos meses, o total de procedimentos que foram objeto de abertura de concurso e subsequente publicação em Diário da República mantém-se em máximos históricos desde o início desta série, que remonta a 2010”.

No que respeita a contratos celebrados, a AICCOPN destaca que “os contratos de empreitadas no âmbito de concursos públicos celebrados ao longo dos primeiros nove meses do ano e objeto de reporte no Portal Base, tem vindo a registar uma recuperação ao longo dos últimos meses, totalizando 1.478 milhões de euros, situando-se 4% abaixo do apurado em igual período de 2019”.

“Os contratos de empreitadas celebrados em resultado de Ajustes Diretos e Consultas Prévias registam um comportamento similar, com um total de 347 milhões de euros, menos 4% em termos homólogos. No seu conjunto, ou seja, adicionando o montante dos contratos celebrados sob outras modalidades, que somam 245 milhões de euros desde o início do corrente ano sendo que, deste montante, 231 milhões dizem respeito a concursos limitados por prévia qualificação, o total de empreitadas de obras públicas objeto de celebração de contrato e registo no Portal Base até final do terceiro trimestre, foi de 2.070 milhões de euros, mais 3% que o verificado em 2019”, conclui o referido comunicado.

Recomendadas

Manuel Teixeira Duarte sobe à presidência da construtora portuguesa

A nomeação de Manuel Teixeira Duarte acontece no momento em que Pedro Teixeira Duarte renuncia ao cargo de presidência da Teixeira Duarte, que teve efeitos produzidos no passado dia 30 de junho de 2021. 

Prejuízo da Teixeira Duarte ascende a 19 milhões no primeiro semestre. Mercado português cresce 2,6%

O grupo refere que o volume de negócios na construção no país manteve-se ao nível do verificado nos primeiros seis meses de 2020, atingindo agora os 68.786 milhares de euros.

PremiumZagope coloca ‘Lava Jato’ para trás e quer “voltar com força máxima ao mercado português”

Ricardo Sá assegura que a construtora não recorreu ao ‘lay-off’ devido à Covid.
Comentários