Setor farmacêutico: Volume de negócios aumenta 2,4% em 2016 sob impulso do comércio grossista

Evolução marcada pelos contributos positivos do “comércio por grosso de produtos farmacêuticos” e do “comércio a retalho de produtos farmacêuticos”, indica Estudo Central de Balanços.

Foto cedida
Ler mais

O volume de negócios do setor farmacêutico aumentou 2,4% entre 2015 e 2016, numa evolução marcada pelos contributos positivos do “comércio por grosso de produtos farmacêuticos” e do “comércio a retalho de produtos farmacêuticos”. Segundo detalha a recente atualização do Estudo Central de Balanços, que analisa as empresas do setor farmacêutico entre 2012 e 2016, do Banco de Portugal (BdP), cada um dos segmentos de atividade registou um crescimento de volume de negócios de 1,9% e 4,8%, respetivamente.

A análise demonstra ainda que apesar de se ter observado um crescimento menor, é o comércio grossista o grande impulsionador do aumento do volume de negócios do setor, sendo responsável por 64% do mesmo.

Relativamente à dimensão, o volume de negócios das grandes empresas e das PME aumentou 3,9% e 2,8%, respetivamente. No que diz respeito às microempresas, observou-se um decréscimo de 2,1% do seu volume de negócios, no mesmo período.

Ainda sobre 2016, um em cada 10 euros do volume de negócios do setor provinha do mercado externo, revelando que foi o mercado interno o principal impulsionador do volume de negócios neste ano, contribuindo 2,4 pontos percentuais para a variação total.

Empresas do setor farmacêutico representam 1% do total

Em 2016, o setor farmacêutico abrangia cerca de 4 mil empresas, representando 1% do total das empresas em Portugal. O “comércio a retalho de produtos farmacêuticos” agregava 70% das empresas e foi responsável por 25% do volume de negócios. Um quarto das empresas pertencia ao segmento grossista, assumindo-se como um dos impulsionadores do crescimento do setor.

No período de análise, o setor farmacêutico era maioritariamente constituído por microempresas (79%), apesar de as PME (21%) serem mais representativas ao nível do volume de negócios.

Recomendadas

Grandes incêndios de 2017 afetaram a qualidade da água do Mondego

Os investigadores, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, registaram um aumento considerável de alumínio, ferro e manganês o que impactou qualidade da água.

Um terço dos trabalhadores está em risco de esgotamento, diz estudo da Deco

Cerca de um terço dos inquiridos no estudo da associaçãod e defesa do consumidor revelou que a profissão afeta negativamente a sua qualidade de vida e 35% afirmaram o mesmo em relação à saúde.

Açúcar ingerido pelos portugueses em bebidas diminuiu 6.250 toneladas

Aplicação de taxa sobre bebidas açucaradas levou uma redução de mais de seis mil toneladas de açúcar ingerido pelos portugueses, só por via do consumo destas bebidas em apenas um ano. Balanço surge numa altura que Governo prepara alterações no imposto das bebidas açucaradas com a criação de três taxas diferenciadas, penalizando as que tiverem maior teor de açúcar.
Comentários