Sindicatos dos bancários chegam a acordo com BCP sobre aumentos salariais

O SBSI e SBC chegaram ontem, dia 11 de setembro, a acordo com a administração do BCP sobre a revisão das tabelas de 2019 e o pagamento de retroativos relativos a 2018.

O Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas (SBSI) e o Sindicato dos Bancários do Centro (SBC) chegaram a acordo com o Millennium BCP sobre o aumento das tabelas salariais.

“O SBSI e SBC chegaram ontem, dia 11 de setembro, a acordo com a administração do BCP sobre a revisão das tabelas de 2019 e o pagamento de retroativos relativos a 2018”, diz o Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas em comunicado.

“Valeu a pena insistir na negociação: o acordo salarial alcançado para 2018 e 2019 ultrapassa os valores que o banco determinava como limite”, refere a nota

Estes dois Sindicatos prometeram aos sócios que não desistiriam da negociação “até obterem aumentos superiores aos 0,6% fixados pelo BCP, do mesmo modo que pretendiam o pagamento de retroativos a janeiro de 2018 e não a janeiro deste ano, como propunha o banco”, acrescenta o sindicato.

Assim, o acordo entre as partes prevê os seguintes aumentos:

–  Até ao nível 6 – 1,5%;

–  Do nível 7 ao 20 – 1%;

–  O subsídio de almoço passa para 9,65 euros

–  O subsídio de nascimento passa para 750 euros.

Segundo o comunicado do SBSI, os aumentos terão efeitos retroativos e serão efetuados da seguinte forma: Até ao nível 6 – 0,75% a janeiro de 2018, mais 0,75% a janeiro de 2019; do nível 7 ao 20 – 0,5% a janeiro de 2018, mais 0,5% a janeiro de 2019; o subsídio de almoço passa para 9,50 euros a janeiro de 2018, e para 9,65 euros a janeiro de 2019; as cláusulas de expressão pecuniária – 0,5% a janeiro de 2018; e o subsídio de nascimento passa para 750 euros a janeiro de 2018.

“Os Sindicatos consideraram de toda a justiça a urgência de aumentar os trabalhadores e, sobretudo, os cerca de 17.000 reformados, sem aumentos desde 2010”, diz o comunicado.

Revisão do Acordo Coletivo de Trabalho

Os sindicatos não se ficam por aqui. Nesse sentido, SBSI e SBC informaram que começarão já a preparar uma revisão global do ACT em vigor, tendo a administração do banco assumido o compromisso de se empenhar rapidamente no processo.

“De salientar também que não obstante o acordo alcançado, o processo só seguirá para publicação no BTE (Boletim do Trabalho e Emprego) após a deliberação dos Conselhos Gerais dos Sindicatos, que serão convocados com brevidade de forma a permitir o processamento dos aumentos e respetivos retroativos em outubro”, refere o comunicado.

Ler mais
Relacionadas

SBN aceita proposta de mediação da DGERT para aumentos salariais de 2018 no BCP

O Sindicato dos Bancários do Norte apelou à intervenção Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) para mediar as conversas com o banco para ultrapassar o atual impasse. Mediadora da DGERT propõe agora, com efeitos a 1 de janeiro de 2018, uma atualização da tabela salarial entre 0,5% e 0,75%.

Sindicato dos Bancários do Norte pede desbloqueio da contratação coletiva no BCP

O sindicato enviou uma carta à administração do banco liderado por Miguel Maya a exigir celeridade nas negociações sobre a revisão da tabela salarial e cláusulas pecuniárias de 2019.
Recomendadas

Parlamento ouve hoje presidente do Fundo de Resolução sobre nova injecção no Novo Banco

Luís Máximo dos Santos vai nesta quarta-feira, 26 de fevereiro, à Assembleia da República esclarecer as questões levantadas pelo Bloco de Esquerda relativas a uma “perspetiva de nova e relevante injeção de dinheiro do Estado”. Bloquistas querem ainda saber o acompanhamento que tem sido feito de todos os processos de venda de crédito malparado.

Acusação a Ricardo Salgado está parada devido a questões processuais

O processo em que o Banco de Portugal investiga o papel de Ricardo Salgado na sociedade criada para financiar o “buraco” no Grupo Espírito Santo está “preso” porque ainda não levantado o sigilo profissional de um advogado. Ordem dos Advogados tem palavra decisiva.

Comissões arrecadadas pelos bancos subiram 40 milhões de euros e superaram 1.500 milhões em 2019

O parlamento debate esta quinta-feira 11 propostas de Bloco de Esquerda, PCP, PS, PAN e PSD sobre comissões bancárias, como limitar as comissões cobradas pelos bancos em meios de pagamento como MB Way, em declarações relacionadas com contratos de créditos e alterações unilaterais de contratos de crédito.
Comentários