PremiumSobre o eterno amor entre os argentinos e o peronismo

A aventura ‘modernista’ de Mauricio Macri parece ter os dias contados. Mas a vizinhança liberal está a fazer tudo para reverter as primárias.

Bem antes de a palavra ‘populismo’ ter entrado no léxico corrente do discurso político ocidental, o casal argentino Eva e Juan Peron (que chegou ao poder em 1946 e aparentemente nunca mais de lá saiu) ensaiou na prática aquilo que em teoria ainda não está totalmente definido. Misturando política, intimidade, lágrimas, economia e uma forma ao mesmo tempo complexa mas razoavelmente bem sucedida de justiça social redistributiva – sem nunca ter impedido que o capital internacional se remunerasse principescamente no interior das fronteiras – o peronismo foi, no quadro histórico dificilmente repetível em que sucedeu, a quadratura do círculo por que os argentinos se apaixonaram para sempre.

Não é por isso de admirar que essa espécie de paternalismo elevado à condição de regime político exerça uma inexplicável (porque nunca repetida em qualquer outra parte do mundo) atração sobre os argentinos, que sazonalmente voltam a lançar-se nos seus braços, como só se faz aos amores antigos – por muito que entretanto eles e as suas circunstâncias tenham irreversivelmente mudado.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumFuncho abre apetite a projeto que recorda Legado madeirense

O projeto que está a ser desenvolvido pelo restaurante Terreiro, além da tónica na utilização dos produtos regionais, tem uma componente socioeconómica, na medida em que pretende criar valor para os produtores.

PremiumPrioridade do ministro dos Negócios Estrangeiros é levantar suspensão à TAP

O Governo português diz que não mudará um milímetro a política face à Venezuela. CEO da companhia aérea nacional calcula que suspensão pode causar prejuízo de 10 milhões de euros.

PremiumTrabalhistas britânicos tentam escapar à irrelevância política

Com a corrida à liderança dos trabalhistas reduzida a dois candidatos, o grande desafio do partido é o dia seguinte:Boris Johnson está em estado de graça e as últimas eleições foram um desastre de grande dimensão.
Comentários