Sonangol de saída da Unitel até final de 2019

“A Sonangol pretende alienar a participação na Unitel”, disse o PCA, em resposta a uma pergunta do “Mercado”.

Cristina Bernardo

A Sonangol quer alienar a participação de 25% que detém na Unitel, anunciou esta quinta-feira, em Luanda, o PCA da petrolífera. Mais 51 empresas do grupo estão na lista de alienações até Dezembro de 2019.

Carlos Saturnino, que falava em conferência de imprensa, após a apresentação do Programa de Regeneração da empresa, anunciou ainda que a companhia apresentou ao Governo uma lista de mais 51 empresas onde tem participações ou subsidiárias e que pretende alienar, em parte ou totalmente, até ao final de Dezembro de 2019.

“A Sonangol pretende alienar a participação na Unitel”, disse o PCA, em resposta a uma pergunta do jornal “Mercado”SONANGOL.

A companhia pretende ainda “emagrecer” várias das 19 subsidiárias e está a “analisar a mais valia e o contributo para o grupo” das suas participações na banca comercial angolana e em fundos de investimento no exterior, incluindo EUA, Singapura e Dubai.

Algumas subsidiárias poderão igualmente vir a ser alienadas, admitiu Saturnino, que anunciou que, nalguns casos, a estrutura de custos é muito pesada e os resultados são negativos, situação cujas causas estão a ser analisadas, com vista à tomada de decisões.

Relacionadas

Sonangol: programa de Regeneração divulgado na quinta-feira

A Sonangol apresenta na próxima quinta-feira em Luanda à imprensa o seu ‘Programa de Regeneração’, anunciou a petrolífera estatal, por meio de um convite enviado às redacções.

PR angolano parte para a China a negociar empréstimos de 10 mil milhões de euros com Pequim

O Presidente angolano, João Lourenço, efetua terça e quarta-feira uma visita de Estado à China, onde esteve há cerca de mês e meio, enquanto tenta fechar empréstimos de Pequim avaliados em cerca de 10.000 milhões de euros.
Recomendadas

PremiumIsraelitas já têm planos para mais hotéis em Lisboa

O grupo Fattal vai abrir um hotel de quatro estrelas na baixa de Lisboa em 2022, num investimento de 20 milhões. A companhia detém 200 hotéis e procura mais oportunidades em Lisboa, Porto, Estoril e Algarve.

PremiumPortugueses dominam negócio milionário dos transplantes capilares

Alta tecnologia e investigação científica promovida por Paulo Ramos, associado aos fundos Vallis-Hermes e a CR7, permitiu criar rede que fatura milhões.

PremiumJerónimo Martins vai investir até 750 milhões para ter mais 290 lojas em 2020

Ara, na Colômbia, vai ter mais 130 lojas, e Biedronka, na Polónia, mais 100. Em Portugal, o Pingo Doce vai apostar num novo conceito de loja.
Comentários