SpaceX quer levar quatro turistas ao espaço em 2021

Os passageiros poderão estar em órbita no máximo durante cinco dias.

A multinacional SpaceX está a trabalhar em parceria com a empresa norte-americana de turismo espacial Space Adventures para enviar um pequeno número de turistas ao espaço em 2021, escreve esta terça-feira o “Business Insider”, citando o portal “Engadget”.

Apesar de ainda não existirem muitos detalhes sobre como é que essas pessoas serão escolhidas, este acordo surge poucas semanas depois de a empresa fundada por Elon Musk em 2002 ter disponibilizado uma ferramenta de reservas online para enviar satélites ao espaço no Falcon 9. Os preços deste serviço começam no 1 milhão de dólares.

A SpaceX fabrica e lança foguetões e naves espaciais com o objetivo de reduzir o custo das viagens espaciais e, eventualmente, permitir que os humanos possam habitar ou “colonizar” o planeta Marte.

Agora, a sonda espacial chamada “Dragon”, da SpaceX, deverá poder transportar até sete passageiros e manter até quatro turistas em órbita no máximo durante cinco dias. Segundo as publicações norte-americanas, os quatro membros que não pertencem à tripulação receberão formação ao longo de várias semanas antes do lançamento, em Cape Canaveral, na Flórida.

Recomendadas

Autoeuropa regressa à produção a 27 de abril

A fábrica portuguesa da Volkswagen vai arrancar inicialmente com dois turnos, com os restantes trabalhadores a permanecerem em regime de layoff.

Covid-19: Brisa declara força maior e avalia impacto nas obrigações contratuais

A concessionária comunicou ao IMT que continua a garantir o “regular funcionamento da sua rede de autoestradas”, mas está a avaliar “os potenciais impactos” da pandemia no cumprimento do acordo com o Estado.

PSD e PS chumbam moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações

Além de ter sido chumbada a possibilidade de criar moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações, o PCP viu PS, PSD, CDS-PP e PAN travar a proposta de implementar “medidas de salvaguarda”, o que impediria as operadoras de cortar serviços durante o Estado de Emergência.
Comentários