SPGM cria linha de crédito para apoiar eficiência energética das empresas

Esta linha destina-se às micro, pequenas e médias empresas e tem por objetivo apoiar as empresas na implementação de medidas que permitam a redução do consumo energético e a mudança das fontes energéticas fósseis para renováveis.

A SPGM – Sociedade de Investimento vai lançar uma linha para a Eficiência Energética, em conjunto com várias entidades de turismo e inovação. Esta linha destina-se às micro, pequenas e médias empresas e tem por objetivo apoiar as empresas na implementação de medidas que permitam a redução do consumo energético e a mudança das fontes energéticas fósseis para renováveis.

“A Linha para a Eficiência Energética permite apoiar operações de financiamento destinadas à substituição de equipamentos por outros mais inovadores, modernos e eficientes; implementar dispositivos de monitorização, de controlo e atuação que permitam otimizar as condições de uso e consumo de energia; e a reformulação e integração de processos, incluindo a troca de fonte de energia fóssil para energia proveniente de fontes renováveis”, explica a SPGM, em comunicado.

A linha vai ter um montante global de 100 milhões de euros, estando o montante máximo de operação por empresa limitado aos 2 milhões de euros. As operações de crédito vão beneficiar de uma garantia autónoma à primeira solicitação prestada pelas SGM, destinada a garantir até 80% do capital em dívida em cada momento do tempo. O montante global da linha tem um prazo de vigência de até 2 anos após o seu início.

Esta linha para a Eficiência Energética foi criada pela SPGM, em conjunto com o Programa Interface, o Turismo de Portugal, o Fundo de Inovação, Tecnologia e Economia Circular e as Sociedades de Garantia Mútua (SGM) – Agrogarante, Garval, Lisgarante e Norgarante.

Recomendadas

“Overtourism”: Estas 10 cidades estão a ser engolidas pelo turismo em massa

Com cada vez mais viajantes, o conceito de turismo em excesso alargou-se a mais destinos. Conheça os países que vão ser as principais vítimas deste fenómeno na próxima década.

O que fazer quando um crédito “desaparece” da Central de Responsabilidades

No caso de o crédito “desaparecer” da CRC não significa que a dívida deixou de existir, sendo que o consumidor mantém a sua responsabilidade perante a obrigação. Esta situação poderá ocorrer aquando da cessão de crédito (venda da dívida a terceiros), a favor de uma entidade fora do sistema financeiro, pelo que esta passa a assumir a posição de credor.

Mais de metade dos portugueses não confiam em fazer compras pela internet

Entre os consumidores que já aderiram às compras pela internet, 65% destacam como grande vantagem a comodidade. Por outro lado, 44% vê nas devoluções o maior entrave no ‘e-commerce’.
Comentários