PremiumSporting CP confirma que Juve Leo queria “apertão” a jogadores. Bruno respondeu: “Não. Não. Temos de lá ir falar todos”

Episódio foi relatado ao “Jornal Económico” por fonte oficial do Sporting nesta sexta-feira, após ter sido questionada ontem sobre a realização de uma reunião a 6 de abril, um dia depois da derrota da equipa em Madrid, e onde, face às críticas e pressões das claques, terá dado carta branca para “pressionarem” os jogadores e o treinador.

António Cotrim/Lusa

O presidente do Sporting reuniu com os núcleos da juventude leonina a 7 de abril, dois dias após a derrota com o Atlético de Madrid (2-0). No encontro, as claques reclamaram uma festa de homenagem a Fernando Mendes (ex-líder da Juve Leo), que voltou a ser recusada por Bruno de Carvalho. O ambiente azedou e subiu de tom quando confrontaram o presidente do clube com a derrota no jogo dos quartos-de-final da Liga Europa, tendo os líderes da Juve Leo lançado repto: “Presidente, temos de lá ir dar-lhes um apertão”. Bruno de Carvalho respondeu: “Não. Não. Temos de lá ir falar todos”.

O episódio foi relatado ao Jornal Económico por fonte oficial do Sporting nesta sexta-feira, após ter sido questionada ontem sobre a realização de uma reunião a 6 de abril, um dia depois da derrota da equipa em Madrid, e onde, face às críticas e pressões das claques, terá dado carta branca para “pressionarem” os jogadores e o treinador. Uma reunião que foi noticiada nesta sexta-feira pelo Jornal Público e que dá conta que Jesus está “convicto” de que Bruno deu carta branca à Juve Leo.

Sobre este encontro, fonte oficial do Sporting Clube de Portugal começa por garantir que “no dia 6 de abril, Bruno de Carvalho não teve nenhuma reunião com os líderes da Juve Leo” para a seguir revelar: “teve uma reunião no dia 7 de abril, por volta das 23 horas. Bruno de Carvalho foi acompanhado por um grupo de seguranças à sede da Juve Leo, onde se realizava uma festa dos núcleos da juventude leonina”.

Segundo a mesma fonte, nessa reunião “o presidente esteve meia hora” e “foi criticado pelo facto de na festa de Natal [de 2017] não ter aceite a proposta de se fazer uma festa de homenagem a Fernando Mendes, [ex-líder da Juve Leo]”. A mesma fonte realça que “o assunto voltou à carga quatro meses depois “ e “o presidente voltou a dizer: «não contem comigo para fazer qualquer festa de homenagem a Fernando Mendes»”.

É aqui que fonte oficial do Sporting assegura que o “ambiente azedou”, tendo a tensão “aumentado” com outros assuntos que Bruno de Carvalho foi confrontado, nomeadamente um pedido de explicações por ter “destratado os três irmãos Rocha [filhos de João Rocha, antigo presidente do Sporting que dá nome ao pavilhão, e fundadores da Juve Leo”]”.

Questionado sobre se o ambiente azedou por terem sido colocados apenas esses temas e se a derrota do Sporting em Madrid não foi tema de discussão, dado que tinha ocorrido dois dias antes, a mesma fonte  prossegue: “sim, foi abordado. Disseram que os jogadores não jogaram nada e que era uma vergonha o que aconteceu em Madrid”.

Foi neste ponto da conversa com Bruno de Carvalho, que, segundo fonte oficial, os elementos da Juve Leo lançaram o repto: “Presidente, temos de lá ir dar-lhes um apertão. Bruno de Carvalho respondeu: Não. Não. Temos de lá ir falar todos”.

Segundo fonte oficial do clube, “o Sporting costuma realizar não mais de uma vez por ano, encontros para desanuviar o ambiente de tensão”. Estes encontros, explica, “passam por levar representantes de cada claque à Academia de Alcochete, acompanhados por Bruno de Carvalho e segurança,  para falar com os jogadores e treinador”.

Questionada sobre se este encontro já se realizou alguma vez com o treinador Jorge Jesus, a mesma fonte afirma que foram feitos com os treinadores Leonardo Jardim e Marco Silva. “Esta situação foi falada dia 7 de abril [reunião entre Bruno de Carvalho e os responsáveis da Juve Leo], mas nunca se proporcionou devido ao calendário das competições oficiais do Sporting na Liga Europa “.

“O ambiente estava de cortar à faca e isto tudo aconteceu depois de uma reunião com o plantel, nessa mesma tarde, onde os jogadores acusaram Bruno de Carvalho de ter mandado Mustafá [líder da Juve Leo] agredir os jogadores”.

Sobre a data da reunião com os núcleos da juventude leonina ter sido a 7 de abril, a mesma fonte assegura: “no dia 6 antes do almoço esteve na PGR, numa audiência pedida pelo Sporting, para falar sobre corrupção e violência no desporto”. Teve um almoço num hotel e foi direto para casa, onde esteve na parte da tarde em contacto permanente o departamento de comunicação e André Geraldes, devido aos comunicado dos jogadores do Facebook [após post de Bruno de Carvalho a criticar a derrota com Atlético de Madrid”.

E onde esteve Bruno de Carvalho na noite do dia 6 de abril: “ficou em casa, porque nessa altura estava previsto a filha nascer a qualquer momento”, afirma fonte oficial do Sporting.

Questionada sobre se este argumento não serviria também para no dia 7 de abril, data em que se assegura que Bruno de Carvalho reuniu com a Juve Leo, fonte oficial do clube afirma: “a reunião foi na sede da Juve Leo, que é no estádio, a cinco minutos da casa do presidente. Não esteve lá mais do que meia hora e foi acompanhado pelo segurança e motorista”.

 

Bruno acusado de ameaçar jogadores com claques

Recorde-se que no sábado, 7 de abril, na véspera do jogo com o Paços de Ferreira, a contar para a 29.ª jornada da Liga NOS, o presidente Bruno de Carvalho reuniu-se com o plantel, na presença do treinador Jorge Jesus, no estádio de Alvalade.  Na reunião, nenhuma das partes recuou nas posições assumidas após o episódio do post de Bruno de Carvalho a criticar a equipa após a derrota com o Atlético de Madrid e o comunicado dos jogadores a manifestarem o seu desagrado com “a ausência de apoio, neste momento…, daquele que deveria ser o nosso líder”. Após este comunicado, o presidente do Sporting chegou a defender a suspensão dos jogadores, ainda antes do jogo com o Paços, mas esta acabou por ser posta de parte.  Em comunicado, o clube referiu que o treinador Jorge Jesus está alinhado com o presidente Bruno de Carvalho.

Sobre esta reunião, o Correio da Manhã noticiou a 8 de abril que Bruno de Carvalho ameaçou os jogadores do Sporting com as claques do clube. O encontro não foi pacífico e até ficou marcado por uma troca de gritos. Terá sido nessa altura que o presidente leonino ameaçou os atletas com represálias de alguns membros das claques.

Sobre esta reunião, fonte oficial do Sporting volta a assegurar: William de Carvalho acusou o presidente de, na véspera (abril) ter mandado Mustafá agredir os jogadores. Bruno de Carvalho ligou a Mustafá e pôs o telemóvel em voz alta e este desmentiu”.

“Tivemos uma reunião com presidente, treinador e jogadores. Tudo o que se passou fica no seio da equipa. O presidente deu-me liberdade para convocar os jogadores que eu queira. Vou fazer a convocatória de uma forma normal”, afirmou então Jorge Jesus. “Os jogadores não receberam qualquer nota de suspensão”, reforçou o técnico.

Ainda no sábado, nos espaços de opinião dos três canais informativos da SIC, TVI e RTP, circulou a ideia de que Bruno de Carvalho não teria avançado com a suspensão dos jogadores que o contestaram porque não havia unanimidade entre os elementos da direção do Sporting.

Bruno de Carvalho recuou na suspensão imediata, mas manteve a intenção de instaurar processos disciplinares a alguns jogadores. No domingo, antes do jogo entre ‘leões’ e ‘castores’, afirmou, no Facebook, que “serão mantidos os processos disciplinares” aos jogadores, que mancharam “o bom nome do presidente e do clube”. Uma decisão que só deverá ter consequências após uma reunião da direção do clube.

Sporting adiou resposta ao JE sobre reunião para hoje

O jornal Público noticiou nesta sexta-feira, 18 de maio, citando fonte próxima do treinador do Sporting, que Jorge Jesus terá provas de contactos mantidos entre Bruno de Carvalho e líderes da Juve Leo, em que o presidente do clube de Alvalade autorizava os radicais desta claque a “apertarem” com jogadores e equipa técnica.

Em causa estão, segundo o Público, contactos entre o presidente do clube e os líderes da Juve Leo, que terão ocorrido logo a 6 de abril, um dia depois da derrota da equipa em Madrid, frente ao Atlético (2-0), na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa.

Fonte próxima ao processo avançou, também ao Jornal Económico nesta quinta-feira, 17 de maio,  a realização desta reunião entre Bruno de Carvalho e os líderes da Juve Leo. O JE confrontou o director de comunicação sobre este encontro e o teor da resposta que foi dada por Bruno de Carvalho aos líderes da Juve Leo quando estes manifestaram a vontade de “apertar” com os jogadores e treinadores, mas até ao fecho da edição em papel do Jornal Económico não obteve qualquer resposta, apesar dos vários telefonemas e SMS enviados a Nuno Saraiva.

A resposta oficial surgiu hoje através de José Ribeiro, do gabinete de comunicação, depois de novas insistências do Jornal Económico, nesta sexta-feira, 18 de maio, junto do clube para saber se Bruno de Carvalho deu carta branca para os radicais desta claque do Sporting “apertarem” com os jogadores e equipa técnica.

 

Relacionadas

Crise no Sporting: o artigo do Código de Trabalho que os jogadores podem invocar para rescindir contratos

Embora a saída dos clubes não seja tão fácil como antigamente, a lei permite a rescisão de contrato se os jogadores apontarem alguma falha à entidade patronal que comprometa a manutenção do vínculo laboral.

Quais são os desafios imediatos do Sporting CP? “Confiança dos seus jogadores e situações judiciais”

O Jornal Económico falou com Luís Cristóvão, analista de futebol e autor do podcast “Linha Lateral”, sobre o atual momento do clube de Alvalade. “É um clube que passa uma imagem de alguma desorganização”, adianta.

“É absolutamente trágico. Os jogadores já estão noutro lado, mas Jesus tem 7,8 milhões de razões para ficar”

Bruno de Carvalho parece já não ter condições para liderar o Sporting. Alegado esquema de corrupção desportiva, demissão dos órgão sociais, risco de perder patrocinadores e ativos em risco colocam o clube a um passo do colapso. Luís Vilar, vice-diretor da Faculdade de Ciências da Saúde e do Desporto da Universidade Europeia, analisa a situação ao Jornal Económico.

BCP: “A banca está muito preocupada com a situação do Sporting”

O vice-presidente da comissão executiva do banco, Miguel Maya, afirmou esperar que a situação se resolva a curto prazo. O BCP é uma das duas instituições que vai perdoar dívida à SAD do clube.
Recomendadas

Temporada de 2022 do Mundial de F1 com recorde de 23 grandes prémios

O circuito de Portimão, que integrou o calendário em 2020 e 2021, vai ficar de fora da temporada de 2022.

“Jogo Económico”. Gilberto Silva, campeão do mundo pelo Brasil e Marcos Motta, advogado de Neymar, falam sobre o futuro do futebol mundial

Acompanhe o “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Emoções fortes no Portugal Air Summit

A quinta edição do Portugal Air Summit culmina com um fim-de-semana cheio de entretenimento e animação, proporcionando a todos os visitantes uma experiência lúdica inesquecível.
Comentários