Spotify alcança 100 milhões de subscritores pagos. Índia e Ásia incrementaram números

Para o próximo trimestre, a plataforma Spotify espera obter entre 107 e 110 milhões de utilizadores a pagar pelo serviço.

A plataforma Spotify aumentou os seus lucros e o número de subscritores pagos subiu para 100 milhões, de acordo com os resultados do primeiro trimestre deste ano, que a companhia revelou esta segunda-feira, 29 de abril.

Este novo número de subscritores superou as expectativas dos analistas em um milhão, e isso levou a que a empresa de streaming musical apresentasse uma subida de 5% em Wall Street, mesmo antes da abertura do mercado. A empresa mostrou-se satisfeita com o crescimento apresentado, uma vez que em novembro do ano passado contava com 87 milhões de utilizados com subscrição premium, que é paga. Para o próximo trimestre, que acaba em junho, o Spotify espera obter entre 107 e 110 milhões de utilizadores a pagar mensalidade, afirma o jornal espanhol ‘El Economista’.

A razão pelo aumento dos utilizadores prende-se pela expansão para a Índia, Médio Oriente e África do Norte durante os últimos meses, sendo que o Spotify está a tentar impulsionar o próximo desenvolvimento na plataforma, ao mesmo tempo que continua com a estratégia de preços no Ocidente, onde existem novas modalidades de fidelização ao preço praticado.

Este aumento ajuda ainda mais a empresa a estabelecer a distância para a Apple Music e poderá contribuir para a duplicação do número de utilizadores, segundo os dados dos dois serviços.

Por sua vez, as receitas da empresa subiram 33%, para 1.510 milhões de euros, o que superou as estimativas dos analistas que previam um valor de 1.470 milhões de euros. A Europa continua a ser a região mais forte e contribuiu com 40% do total de subscritores pagos, sendo seguido pela América do Norte com 30%, um mercado onde a Apple Music já teria excedido o número de assinantes.

Para o segundo trimestre, a Spotify espera 1.710 milhões de euros em receitas. Os analistas, no entanto, esperam um aumento mais comedido para 1.620 milhões de euros.

A plataforma registou perdas líquidas de 142 milhões de euros no primeiro trimestre de 2019, ainda assim, este valor equivale a uma melhoria de 16% em relação aos números que se fixaram no vermelho, no mesmo trimestre de 2018. Assim, o Spotify reportou perdas de 0,79 euros por ação, algo que os analistas não esperavam, sendo que previam um valor de 0,35 euros por ação.

Os custos da empresa também apresentaram um custo superior ao previsto. As ações de marketing fecharam com um gasto de mais 24,6%, o que significa 172 milhões de euros, os processos de investigação e desenvolvimento também cresceram 34,7%, para 155 milhões de euros, enquanto os gerais e administrativos subiram para 30,9%, sendo o gasto de 93 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

BCP emite 450 milhões de dívida subordinada e paga 3,871%

A emissão, no montante de 450 milhões de euros, terá um prazo de 10,5 anos, com opção de reembolso antecipado pelo Millennium BCP no final de 5,5 anos, e uma taxa de juro de 3,871%, ao ano, durante os primeiros 5,5 anos.

Facebook suspende “dezenas de milhares” de aplicações por falhas na privacidade

A sua suspensão “não é necessariamente uma indicação de que as aplicações eram uma ameaça às pessoas”, ressalva a rede social.

TAP regista prejuízos de 120 milhões no primeiro semestre

Quebra nas receitas com o Brasil e aumento de custos de pessoal foram alguns dos motivos que geraram este resultado negativo.
Comentários