Startup com sede em Portugal chega à final do Free Electrons

A Tesselo combina a utilização de imagens de satélite e Inteligência Artificial para transmitir informações em tempo real sobre terrenos agrícolas ou infraestruturas.

A startup Tesselo, com sede em Portugal, é uma das finalistas do programa de aceleração Free Electrons, destinado a auxiliar pequenos negócios na energia e criado pela EDP com outras sete multinacionais. Após vários dias de reuniões e mentorias online, a organização colocou a empresa fundada em 2017 no leque das 15 melhores.

A Tesselo combina a utilização de imagens de satélite e Inteligência Artificial para transmitir informações em tempo real sobre terrenos agrícolas ou infraestruturas. Ou seja, este micronegócio com sede em Lisboa consegue, através da sua tecnologia, classificar espécies de árvores, medir e prever o crescimento da floresta, monitorizar colheitas de plantações, detetar pragas e estimar o risco ou o impacto de incêndios florestais, por exemplo.

Na semana passada, realizou-se um bootcamp online (“campo de treino”) com 35 startups. “Esta etapa do programa juntou mais de 150 pessoas de 30 países, que se ligaram entre si durante a última semana através de mais de 250 reuniões por teleconferência em 13 fusos horários, além de outros momentos partilhados em grupos de WhatsApp, quizzes, sessões de alongamentos e artes marciais, e até happy hours online”, informou esta segunda-feira a EDP.

“Face à situação de pandemia que se vive no mundo não foi possível realizar o bootcamp em Singapura conforme estava previsto, mas isso não nos impediu de encontrar uma solução ágil para todos, mantendo um ambiente de proximidade e networking ainda que à distância”, salientou Carla Pimenta, diretora da EDP Inovação, em comunicado.

Quem são as 15 startups finalistas?

  • Allume Energy | Austrália
  • AMPLY Power, Inc. | Estados Unidos
  • Chargetrip | Países Baixos
  • Disruptive Technologies | Noruega
  • energyX Solutions, Inc. | Canadá
  • FlexiDAO | Espanha
  • fos4X | Alemanha
  • FutureGrid | Austrália
  • Gridio.io | Estónia
  • Net2Grid | Países Baixos
  • Ripple Energy | Reino Unido
  • Soraytec AS | Noruega
  • Tesselo | Portugal
  • Vutiliti | Estados Unidos
  • Vyntelligence | Reino Unido

A edição 2020 do Free Electrons recebeu 857 candidaturas de empresas de 86 países – entre as quais 14 de Portugal. Das oito centenas de inscrições, 105 vieram dos Estados Unidos, 44 do Reino Unido, 41 da Alemanha, 37 da Índia, 34 da Austrália e 32 do Brasil. Em termos de atividade, metade (50%) dedica-se à gestão de energia, 46% à energia limpa, 41% às redes inteligentes e 21% às soluções para clientes.

As utilities fundadoras do Free Electrons além da EDP são a Ausnet Services (Austrália), DEWA (Dubai), ESB (Irlanda), Innogy (Alemanha), Origin Energy (Austrália), SP Group (Singapura) e Tokyo Electric Power Company (Japão), mas desde 2018 que a American Electric Power (Estados Unidos) e a CLP (Hong Kong) também fazem parte do grupo. No âmbito deste programa, apoiado em Portugal pela Beta-i, já foram realizados mais de 100 pilotos e investidos cerca de 20 milhões de euros em startups.

Ler mais
Relacionadas

Portuguesa Tesselo escolhida para programa global de startups. ‘Bootcamp’ será online

O Free Electrons 2020 recebeu 857 candidaturas de empresas de 86 países (14 de Portugal). Este ano o trabalho em equipa realizar-se-á através de plataformas digitais devido ao novo coronavírus.
Recomendadas

Família Azevedo aumenta o preço da OPA sobre a Sonae Capital em 10%

A Efanor, holding da família Azevedo, reviu em alta o preço da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Sonae Capital. Paga agora 77 cêntimos em vez dos anteriores 70 cêntimos. Esta OPA sobre a Sonae Capital decorre em simultâneo com uma oferta sobre a Sonae Indústria. O Grupo Sonae quer retirar ambas de bolsa.

Monese e Mastercard fazem parceria europeia

O objetivo do acordo é oferecer serviços bancários locais para consumidores em toda a Europa, incluindo em Portugal. Os clientes das contas multi-currency da ‘fintech’ britânica passam a ter acesso à rede global de aceitação de cartões Mastercard.

CP assinou contrato para compra de 22 novos comboios por 158 milhões de euros

A CP prevê que a entrega da primeira unidade aconteça no final de 2024, sendo que o processo ainda terá de passar pelo Tribunal de Contas.
Comentários