Startup Wegho vai contratar em Lisboa e no Porto

A startup, lançada apenas há um ano, conta com 20 colaboradores na rede de serviços e para cima de 3000 utilizadores registados.

A Wegho, plataforma que junta toda a gestão doméstica numa só app ou site, vai contratar 50 funcionários até ao final do ano para responder ao crescimento do negócio.

“Estamos à procura de mais colaboradores para poder continuar o crescimento que temos tido. Neste momento, estamos a recrutar na área da limpeza e qualquer pessoa pode candidatar-se: com ou sem experiência, à procura de contrato part-time ou full-time.” afirma Carlos Magalhães, CEO e cofundador da startup.

Lançada em julho de 2017, no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a Wegho expandiu-se recentemente para Lisboa. Um ano depois, conta, já, com cerca de 20 colaboradores na rede de serviços, para cima de 3000 utilizadores registados e realiza aproximadamente 500 serviços por mês – como por exemplo limpeza de escritórios, jardinagem e até sessões de personal training.

A plataforma disponível em iOS e Android expandiu recentemente a área de negócio para Lisboa e já está a recrutar mais funcionários para a capital.

Recomendadas

Empreendedora portuguesa vence prémio europeu de inovação

Sara Guimarães Gonçalves, cofundadora da startup Trigger.Systems, foi premiada pelo Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia por uma mulher notável no ecossistema de empreendedorismo.

CBRE quer conhecer mais empreendedores de imobiliário

A consultora quer trazer novas tecnologias às casas e edifícios. “Ainda não vimos grandes soluções para coliving”, admite Francisco Horta e Costa, diretor-geral da CBRE Portugal, ao Jornal Económico. Na edição de 2018 foram as portuguesas Alfredo, Spott e Infraspeak que se destacaram.

Portugal é o país da União Europeia com menos startups fundadas por mulheres 

Só 5% das startups nacionais foram fundadas por empreendedoras, de acordo um estudo da Comissão Europeia. Segundo a análise da Innoenergy, há poucas diferenças entre líderes. Sara Gonçalves é CEO e só sente diferenças de tratamento do outro lado do Atlântico.
Comentários