Startup Wegho vai contratar em Lisboa e no Porto

A startup, lançada apenas há um ano, conta com 20 colaboradores na rede de serviços e para cima de 3000 utilizadores registados.

A Wegho, plataforma que junta toda a gestão doméstica numa só app ou site, vai contratar 50 funcionários até ao final do ano para responder ao crescimento do negócio.

“Estamos à procura de mais colaboradores para poder continuar o crescimento que temos tido. Neste momento, estamos a recrutar na área da limpeza e qualquer pessoa pode candidatar-se: com ou sem experiência, à procura de contrato part-time ou full-time.” afirma Carlos Magalhães, CEO e cofundador da startup.

Lançada em julho de 2017, no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a Wegho expandiu-se recentemente para Lisboa. Um ano depois, conta, já, com cerca de 20 colaboradores na rede de serviços, para cima de 3000 utilizadores registados e realiza aproximadamente 500 serviços por mês – como por exemplo limpeza de escritórios, jardinagem e até sessões de personal training.

A plataforma disponível em iOS e Android expandiu recentemente a área de negócio para Lisboa e já está a recrutar mais funcionários para a capital.

Recomendadas

Como uma ‘startup’ portuguesa vai dar ‘nova vida’ a restos de tecidos de marcas

Com um investimento inicial de 50 mil euros e com o início de vendas previsto para o final de janeiro, o projeto recebeu o nome de “The Thinker and the Sinner”, que na tradução para português resulta em “O Pensador e o Pecador”.

Nove startups portuguesas na corrida a investimento de até dois milhões de euros

A Feira do Empreendedor, organizada pela Associação Nacional de Jovens Empresários, decorre esta quinta-feira e começa com a ronda de investimento WE’BIZ Pitch. A ibérica Conexo Ventures, a britânica Merism Capital e a espanhola Faraday Venture Partners estão disponíveis para desembolsar.

Cork_Empreende pretende criar 20 novas empresas do setor da cortiça

Este projeto tem como principais destinatários os empreendedores com novas ideias de negócio e as novas PME (constituídas há menos de 2 anos) com capacidade de corporizar novos modelos de negócio.
Comentários