Startups portuguesas em busca de investimento entre 1 e 5 milhões de euros

Seia startups nacionais à procura do smart money da Earlybird Venture Capital na primeira WE’BIZ Pitch de 2018.

Infinite Foundry, Infraspeak, TrustNet, Mobiqueue, Magikbee e Streambolico são as seis startups cujo pitch deck foi selecionado por Ravi Kurani (Principal da Earlybird Venture Capital). Os empreendedores responsáveis por cada uma das startups terão sessões one-to-one de 30 minutos com o investidor internacional, para apresentarem os projetos e as suas métricas de desempenho e angariarem tickets de investimento entre 500 mil e cinco milhões de euros.

Trata-se da primeira ronda de investimento organizada pela ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários em 2018 e que decorre amanhã entre as 14h00 e as 17h30, na sua Sede Nacional, no Porto.

Facilitar a captação de investimento das startups portuguesas é a missão das sessões WE’BIZ Pitch, que viabilizam o cumprimento deste desígnio através da organização periódica de rondas de investimento com agentes privados e de capital de risco com intervenção em diferentes ecossistemas empreendedores.

As seis startups selecionadas sobressaíram no leque de empresas candidatas e têm agora uma oportunidade privilegiada para captar financiamento que viabilize o seu fit to market, o primeiro impulso ou a mudança nas estratégias de expansão e scaleup traçadas.

Na opinião de Adelino Costa Matos, presidente da ANJE, “a primeira WE’BIZ Pitch de 2018 traz à Infinite Foundry, Infraspeak, TrustNet, Mobiqueue, Magikbee e Streambolico uma via rápida de acesso ao investimento, ao proporcionar o encontro individual com um investidor que tem muito do ADN destes seis negócios no seu perfil de investimento”. O responsável adianta ainda que “Ravi Kurani procura projetos entre os estágios seed e série A, com produto concluído e aposta vincada em tecnologia digital, características que sobressaem no modelo de negócio e na proposta de valor dos projetos selecionados para os encontros individuais. Esperemos, pois, que esta ronda de investimento organizada pela ANJE possa ser a rampa de lançamento para o scaleup bem-sucedido das startups portuguesas envolvidas”.

A Earlybird Venture Capital conta com uma média inicial de investimentos de 2,5 milhões de euros, sendo a operação mais pequena registada até à data de 250 mil euros e a mais significativa de 10 milhões de euros. Nos últimos 12 meses, o player de capital de risco efetuou 11 novos investimentos e na sua história conta já com mais de 30 exits. Com mais de 750 milhões de euros angariados desde 1997, a Earlybird Venture Capital já levantou seis fundos de investimento e conta com infraestruturas em Berlim, Munique e Istambul.

Ler mais
Relacionadas

60 startups em mostra. Porto vira capital do empreendedorismo durante 3 dias

A Feira do Empreendedor, organizada pela ANJE, vai levar ao Edifício da Alfândega, na Invicta, até sábado, para cima de 10 mil empreendedores, investidores, mentores, empresários e altos quadros de empresas.

16 startups portuguesas em busca de investimento junto de ‘tubarões’ internacionais

As startups portuguesas vão poder hoje tentar convencer os responsáveis da Founders Factory, Caixa Capital Risc, Firstminute Capital e Telefónica a investirem nos seus negócios.

WE’BIZ Pitch: Startups têm entre 500 mil a 5 milhões à sua espera

Chris Wade, venture partner da Octopus Ventures, pré-selecionou as 10 startups de elevado potencial, cujo modelo de negócio vai avaliar na ronda de investimento.
Recomendadas

SRS Advogados está à procura de startups tecnológicas

As inscrições terminam a 15 de julho.

Sérvulo organiza “1º Encontro de Fintech”

Durante a tarde de amanhã, representantes destas empresas financeiras tecnológicas, dos bancos e dos reguladores discutirão o impacto das fintech no mercado de capitais, bem como aspetos transversais, entre os quais a proteção de dados.

Startups portuguesas em destaque na 360 Tech Industry

As atenções viram-se também para o “Let’s Talk 4.0”, um ciclo de conferências dedicado às várias áreas que interagem com a indústria 4.0.
Comentários