Stayaway Covid com 735 mil downloads. Costa defende uso da aplicação digital

O Estado de Contingência vai vigorar a partir de 15 de setembro. António Costa defende uso da aplicação de rastreio no regresso às aulas e ao trabalho.

Twitter

A aplicação Stayaway Covid conta com mais de 735 mil transferências atualmente. O primeiro-ministro voltou a defender  o uso desta aplicação digital.

“Queria renovar o apelo para que haja uma utilização efetiva desta aplicação. Recordo que é anónima, ninguém sabe quem foi a pessoa infetada e com quem esteve em proximidade”, disse hoje António Costa no briefing do Conselho de Ministros.

“Quando fazemos o contacto não nos identificamos é de descarga voluntaria e é segura, visto que so pode haver avisos mediante um diagnostico positivo por parte de um medico que fornece um código especifico para descarregar a aplicação”, destacou.

“Só serão alertadas as pessoas que nos últimos 14 dias tenham estado a menos de dois metros de distância e mais de 15 minutos na proximidade dessa pessoa. E o alerta não significa que estejamos contaminados, significa que devemos ligar para a linha Saúde 24”, apontou.

O primeiro-ministro defendeu a importância do uso desta aplicação nas escolas e também nas empresas.

O Governo vai hoje anunciar as novas medidas para o Estado de Contingência que vai vigorar a partir de 15 de setembro.

Ler mais

Relacionadas

António Costa: “Tem havido um crescimento de novos casos desde o início de agosto”

Para António Costa, “tem-se vindo a verificar o constante aumento de novos casos desde o início de maio, ou seja desde o final da fase de confinamento. se olharmos para o indicador do risco de transmissibilidade nunca nos afastamos de 1%”.
Recomendadas

Fórum para a Competitividade antecipa recessão técnica no primeiro trimestre devido ao confinamento

A instituição presidida por Pedro Ferraz da Costa admite que existe o “risco sério” de o verão não haver uma “uma clara recuperação” do sector do turismo, o que terá repercussões negativas nas restantes atividades económicas e na taxa de desemprego.

Pais com direito a 66% do salário para ficar em casa a tomar conta de crianças até 12 anos

Os pais que não estejam em teletrabalho vão ter direito a faltas justificadas para ficar a cuidar dos filhos durante os 15 dias em que as escolas vão estar fechadas.

Oficial. Escolas fechadas a partir de amanhã durante 15 dias. Atividade letiva fica toda suspensa

Depois de Portugal ter vindo a bater sucessivamente recordes diários de novos casos e mortes, o Governo decidiu encerrar as escolas a partir de sexta-feira, 22 de janeiro. Creches e ATLs também são abrangidos pelo fecho.
Comentários