Substância encontrada em avião no aeroporto de Lisboa não constitui perigo para a saúde, sublinha ANA

A ANA – Aeroportos de Portugal refere que, “após avaliação da substância pela equipa especializada dos Bombeiros Sapadores de Lisboa, conclui-se que não há perigo para a saúde humana”.

A substância encontrada hoje no porão de um avião da Swiss International no Aeroporto de Lisboa não constitui “perigo para a saúde humana”, prevendo-se que a aeronave descole ao início da noite, indicou a ANA.

Numa declaração escrita enviada à agência Lusa, a ANA – Aeroportos de Portugal refere que, “após avaliação da substância pela equipa especializada dos Bombeiros Sapadores de Lisboa, conclui-se que não há perigo para a saúde humana”.

Contudo, a ANA não adianta qual a substância encontrada no avião.

Ainda segundo a ANA, pelas 19:00 o perímetro de segurança já tinha sido levantado, “prevendo-se que a aeronave esteja pronta para descolar em breve”.

No ‘site’ da ANA, às 19:15 já era dada a indicação que os passageiros do voo da Swiss Internacional para Zurique, que deveria ter descolado às 14:35, estavam a embarcar.

Ao início da tarde, fonte oficial do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP disse à Lusa que tinha sido encontrado um “pó químico” no porão de um avião no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

O Cometlis indicou que recebeu o alerta pelas 14:58 e que elementos policiais tinham montado um perímetro de segurança, estando a operação a cargo do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB) de Lisboa, que tem elementos preparados com equipamento NBQ (Nuclear, Biológico e Químico).

À Lusa, fonte dos RSB de Lisboa afirmou tratar-se de “sacos rompidos” que continham um pó, sem especificar qual.

Estiveram no local 17 operacionais e quatro veículos, de acordo com a página oficial da Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Ler mais
Recomendadas

Telefónica analisa compra parcial da Oi, avaliada em 6 mil milhões

A Oi é detida em cerca de 5% pela Bratel da portuguesa Pharol, ex-PT SGPS, que por sua vez tem como acionista o Novo Banco com ​9,56%. E o BCP tem poder para vender os 9,99% da High Bridge por conta de uma dívida bancária não paga.

ASF aprova norma que estabelece qualificação adequada para vendedores de seguros

A ASF entende que o reforço da qualificação “em impacto na qualidade da prestação de serviços, na diminuição da conflitualidade e do número de reclamações, o que, por seu turno, acarreta consequências positivas em termos reputacionais e da imagem do setor”.

Portugal vai “perder 200 milhões de euros num ano” mas Altice não vai “estorvar” compra da TVI

O processo de compra da dona da TVI pela Altice, por 440 milhões de euros, caiu por terra em junho do ano passado, quando o grupo espanhol Prisa, dono da Media Capital, confirmou a desistência do negócio. Hoje Alexandre Fonseca voltou a criticar a Autoridade da Concorrência (AdC) por durante meses não se ter pronunciado sobre o negócio.
Comentários