Talho retira publicidade de venda de carne de vitela com imagem de mulher na praia

A publicidade já originou uma queixa à Comissão para a Igualdade de Género. Empresa já pediu desculpas pelo sucedido e retirou os cartazes.

Um talho de Vila Nova de Gaia retirou vários cartazes publicitários das suas montras. Os cartazes faziam publicidade a carne e na imagem surgia uma mulher na praia.

“Pedimos desculpa pelo sucedido, em momento algum tivemos intenção de ofender quem quer que fosse e de futuro tomaremos isto em atenção nas próximas campanhas publicitárias”, pode-se ler no comunicado nas redes sociais da empresa Carnes Sá da Bandeira.

“À semelhança de anos anteriores foram elaborados cartazes alusivos ao verão cuja associação de imagens levou a interpretações que de modo algum ocorreu à empresa. Tendo como máxima que “a nossa liberdade acaba quando começa a liberdade do outro” procedemos de imediato à remoção dos mesmos”, explica a empresa localizada em Vila Nova de Gaia.

Nos cartazes, o talho anunciava a venda de carne de “vitela branca para assar”,
“coxa de frango”, ou “lombo para assar, costeletas ou tiras de entrecosto” sempre acompanhada da imagem de uma mulher na praia.

A publicidade já originou uma queixa à Comissão para a Igualdade de Género, avançou hoje a agência Lusa.

O Movimento Democrático de Mulheres apresentou a queixa, argumentando que está farto de ver o corpo feminino a ser usado para “vender todo o tipo de produtos, num mercado que tem interesse em vender e que sabe que assim assegura melhor esse objetivo”.

“É tempo de dizer que as mulheres não são mercadoria, não são produtos vendáveis, nem podem os seus corpos ser usados como tal”, segundo o Movimento Democrático de Mulheres, citado pela Lusa.

 

Ler mais
Recomendadas

Aulas vão arrancar sem o reforço prometido de mais mil funcionários

O início das aulas está marcado para entre 10 e 13 de setembro mas o reforço prometido pelo Ministério da Educação em fevereiro pode só chegar em outubro.

Livreiros recusam vouchers de manuais gratuitos por falhas nos pagamentos

O Ministério de Tiago Brandão Rodrigues afirmou que os pagamentos estão a ser realizados “dentro dos prazos” e que por enquanto não há reclamações apresentadas. O ministério avança ainda que “as faturas recebidas até 9 de agosto, inclusive, estão pagas”.

Leite achocolatado, bolachas e cereais para crianças deixam de ter publicidade

A lei da publicidade vai apertar a partir do próximo mês de Outubro. As multas para os que infringirem a lei da publicidade ronda os 1.750 euros e 45 mil euros. Outros produtos que deixarão de ser publicitados a este público são também 90% dos cereais de pequeno almoço e 72% dos iogurtes que estão no mercado.
Comentários