TAP apresenta reclama 40 milhões de euros à ANA cobrados indevidamente

A TAP queixa-se dos aumentos das taxas aeroportuárias e diz que ANA calculou mal as cobranças feitas à transportadora aérea nos últimos quatro anos.

TAP Portugal

A Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) contesta o modelo de gestão aeroportuário da ANA e, por isso, decidiu apresentar uma queixa formal junto da concessionária e à ANAC, entidade reguladora do setor aeroportuário, exigindo 40 milhões de euros cobrados pela ANA nos últimos quatro anos, dá conta o “Expresso” este sábado.

A TAP  queixa-se dos aumentos das taxas aeroportuárias e que a ANA, nesse sentido, cobrou indevidamente à transportadora aérea 40 milhões de euros desde 2015, porque está a usar como suporte de cálculo o número de passageiros transportados em 2012 atualizado à inflação – o que para a TAP está errado.

De acordo com o semanário do grupo Impresa, a queixa conta com os pareceres dos economistas Augusto Mateus, Pedro Pita Barros e António Nogueira Leite e dos jurista Rui Medeiros e Pedro Costa Gonçalves.

O diferendo com a ANA surge numa altura em que pairam incertezas sobre a permanência do acionista privado da TAP, David Neeleman. Tal como o Jornal Económico noticiou em 29 de novembro, a saída de David Neeleman, que controla 45% da TAP através da Atlantic Gateway, da estrutura acionista da transportadora portuguesa está em cima da mesa. Tal poderá acontecer na primavera de 2020.

Relacionadas

PremiumTurbulência acionista agita TAP

Rácio de dívida caiu para metade, passageiros aumentaram 65% e receitas subiram 40%. Mas estratégia de expansão e prejuízos dividem acionistas.

“TAP vai passar a voar para a Ásia”, garante Miguel Frasquilho

O ‘chairman’ da TAP considera que a Ásia é um continente incontornável no futuro para na rede de rotas trabalhadas pela companhia aérea nacional, uma vez que é a região do Mundo mais dinâmica neste momento, também no setor do turismo.

TAP vai pagar 5,625% de juros pelos 375 milhões de euros de obrigações emitidas

Esta emissão obrigacionista da companhia aérea nacional tem uma maturidade que vence em 2024.

CEO da TAP: Emissão de dívida demonstra que plano estratégico foi “bem recebido pelos investidores”

Numa mensagem enviada aos funcionários da TAP, Antonoaldo Neves defende que o sucesso da emissão de obrigações no valor de 375 milhões de euros – a primeira de sempre – demonstra que a companhia está a conseguir conquistar a confiança dos investidores internacionais. E lembra que a Virgin Australia, a Air Baltic e a Jaguar Land Rover, que também foram ao mercado nas últimas semanas, pagaram juros mais altos.

TAP: companhia renova frota com novos modelos Airbus

A frota da TAP está a ser renovada com 53 aparelhos Airbus a entrar em funcionamento entre 2018 e 2019. A maioria destes aparelhos são comprados com leasing. Investimento permite reduzir idade média da frota de 14 para cinco anos.
Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Grupo Os Mosqueteiros investe 25,3 milhões para abrir mais seis lojas Intermarché em Portugal

Este investimento irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país, asseguram os responsáveis do grupo francês de distribuição.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.
Comentários