TAP promete recuperar “tão rapidamente quanto possível” os voos a partir do Porto

A empresa assegura ainda que “irá continuar este processo de diálogo com todas as regiões portuguesas”.

Em comunicado a TAP, avançou que “reuniu com várias entidades representativas do Porto e do Norte de Portugal, às quais agradece os contributos, com o objetivo de identificar oportunidades que levem a um crescimento da sua operação no Aeroporto Francisco Sá Carneiro”.

“A TAP está empenhada em recuperar tão rapidamente quanto possível, e de forma sustentável, a proporcionalidade da sua oferta no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no conjunto da sua operação, relativamente ao período pré Covid-19”, refere a companhia aérea em comunicado.

A empresa assegura ainda que “irá continuar este processo de diálogo com todas as regiões portuguesas”.

Este comunicado surge depois de uma onda de contestação que se virou contra a gestão da TAP e o seu plano de voos para junho e julho, liderada pelos autarcas de Norte. Onda de contestação a que o Governo deu eco, nomeadamente o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, que veio a público dizer que o Norte e a cidade do Porto são demasiado importantes para o país para que a TAP não olhe para esta região com respeito.

Todos contra a TAP obrigou a transportadora a repensar a estratégia que tinha sido difundida a 25 de maio e, resultado disso, surgiu o comunicado enviado às redações ao fim do dia desta quarta-feira.

TAP retoma voos para Maputo, Luanda e Nova Iorque em Junho

Ler mais
Recomendadas

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.

Companhia aérea Emirates planeia eliminar até 9 mil postos de trabalho

Antes do início da pandemia da covid-19, a companhia aérea contava com 60.000 funcionários e, em 31 de maio, anunciou despedimentos, apesar de não especificar quantos seriam.
Comentários