TAP propôs à Groundforce pagar 100% do empréstimo até 31 de agosto

Segundo a carta de resposta enviada pela TAP à Groundforce, 50% do empréstimo de dois milhões de euros teria de ser saldado até ao final de março, com o restante valor a ser pago em tranches até ao final de agosto. Caso a Groundforce recebesse o empréstimo de 30 milhões de euros que está a negociar, teria de saldar imediatamente a dívida.

A TAP propôs à Groundforce um empréstimo de dois milhões de euros para a empresa conseguir pagar os salários em atraso de fevereiro relativos a 2.400 trabalhadores.

Deste empréstimo, a empresa de gestão de bagagens teria de saldar metade até ao final de março, com o restante valor a ser pago em tranches ao longo dos próximos meses: 70% até ao fim de junho; 90% até ao final de julho; 100% até ao final de agosto.

Este calendário de pagamento consta na carta enviada pela TAP e que foi divulgada pelo Governo na noite desta quinta-feira, depois de o acionista privado da Groundforce ter qualificado a resposta do ministro das Infraestruturas como “insultuosa”.

A missiva também propunha o pagamento integral do empréstimo assim que a Groundforce recebesse o empréstimo de 30 milhões de euros que tem estado a negociar.

Mas este empréstimo só seria efetuado se o acionista maioritário da Groundforce, a sociedade Pasogal  entregasse à TAP como garantia a totalidade das suas ações: 50,1% da empresa de gestão de bagagens.

Este penhor seria imediatamente executado, primeiro, se a Groundforce não cumprisse os pagamentos a tempo e horas, ou se visse recusado o seu empréstimo: “caso o Governo Português e/ou a Caixa Geral de Depósitos e/ou o Banco de Fomento e/ou qualquer outra pessoa singular ou entidade coletiva, pública ou privada, nacional ou estrangeira, que tenha de se pronunciar sobre a matéria, comunique que recusa a concessão do Financiamento Garantido e/ou comunique uma decisão que impossibilite a concessão desse Financiamento Garantido, nos termos em que o mesmo se encontra atualmente previsto”.

Se a TAP exercesse o seu “direito unilateral de terminar, no todo ou em parte, o acordo parasoccial (…) a Pasogal obriga-se a tomar todas as medidas que sejam necessárias, incluindo através do exercício dos seus direitos de voto, de modo a assegurar a cessação de funções de todos os membros dos órgãos sociais da SPdH por si indicados no prazo de 2 (dois) meses a contar da data da notificação da TAP SGPS indicada na subalínea antecedente, suportando os possíveis encargos resultantes dessa cessação”.

Na carta assinada por Miguel Frasquilho, presidente do conselho de administração da transportadora, e por Ramiro Sequeira, presidente executivo da companhia aérea, o grupo TAP diz-se “sensível” à impossibilidade da Groundforce de “efetuar o pagamento dos salários dos seus trabalhadores referentes ao mês de fevereiro de 2021, com as consequências possivelmente dramáticas que daí decorrem para os mesmos e suas famílias”.

Ler mais
Relacionadas

Acionista da Groundforce diz que “resposta de Pedro Nuno Santos foi insultuosa” e que ministro quer “nacionalizar” a empresa

Alfredo Casimiro criticou duramente a resposta dada pelo ministro das Infraestruturas à sua proposta para desbloquear a situação financeira na Groundforce. Os salários de 2.400 trabalhadores da empresa relativos a fevereiro continuam por pagar. Pedro Nuno Santos quer “nacionalizar a Groundforce e entregá-la daqui a uns tempos a outro privado”, acusa o empresário.

Sindicatos pedem ao Governo solução na Groundforce para o “curto prazo”

Os sindicatos aguardam “que nas próximas horas todos assumam as suas responsabilidades e contribuam para a solução, desde logo o pagamento dos salários”, sem “perpetuar uma situação inevitável que compromete os trabalhadores” e a empresa.

Groundforce. Pedro Nuno Santos admite avançar para a nacionalização, diz acionista maioritário

Alfredo Casimiro aceita entregar as suas ações (50,1%) da Groundforce como garantia para obter um empréstimo por parte do seu maior cliente e acionista minoritário, a TAP, para resolver a situação imediata da empresa. Mas já propôs à tutela de Pedro Nuno Santos que possa pagar este empréstimo quando a empresa receber um empréstimo no valor de 30 milhões de euros que está a ser negociado com um sindicato bancário.
Recomendadas

Altice, Microsoft e HP firmam parceria. Centro de dados da Covilhã acolhe oferta de ‘cloud’ híbrida inédita em Portugal

Os serviços em causa são fornecidos pela Microsoft Azure, uma plataforma da gigante tecnológica norte-americana especializada no uso de aplicações e serviços em cloud. O controlo dos dados é responsabilidade do ‘data center’ da Altice e o apoio técnico especializado é da HP.

Proveitos no alojamento turístico com queda de 90,5% em fevereiro

Os proveitos das unidades de alojamento turístico caíram 90,5% em fevereiro face ao mesmo mês de 2020, para 18,6 milhões de euros, enquanto o número de dormidas desceu 87,7%, para 472,9 mil, segundo o INE.

Metade das empresas na restauração e alojamento apresentaram quebras de 90% na faturação em março

Volvido um ano desde o início da pandemia, 43% das empresas de restauração já efetuaram despedimentos, um valor que reduz para 28% no sector do alojamento turístico.
Comentários