“Tapering” ainda não faz parte do léxico do BCE. “Recalibrar” é o termo, diz Lagarde

Banco Central Europeu (BCE) vai reduzir o ritmo de compra de ativos do pandemic emergency purchase programme (PEPP), mas Christine Lagarde garante que ainda não é “tapering”.

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou esta quinta-feira uma redução do ritmo de compra de dívida ao abrigo do programa de emergência de compra de ativos, mas tal não significa que o Conselho de Governadores avançou com o “tapering” e nas palavras de Christine Lagarde o programa está apenas a ser “recalibrado”.

“Não é tapering”, afirmou a presidente do banco central esta quinta-feira, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de governadores. “O que fizemos hoje por unanimidade é calibrar o nosso ritmo de compras para cumprir a meta de condições de financiamento favoráveis”, acrescentou.

O BCE anunciou que com base na evolução das condições de financiamento considera que podem ser mantidas a um ritmo moderadamente inferior de compras de ativos líquidos ao abrigo do PEPP do que nos dois trimestres anteriores, depois de em março ter decido acelerar o ritmo de compras.

A instituição liderada por Christine Lagarde realçou que irá continuar a realizar compras de ativos ao abrigo do PEPP com uma dotação total de 1.850 mil milhões de euros, no mínimo, até ao final de março de 2022 e, em qualquer caso, até considerar que o período de crise do coronavírus terminou. Neste sentido, o Conselho de governadores vinca que irá realizar “as aquisições de forma flexível de acordo com as condições de mercado e a fim de evitar um aumento da restritividade das condições de financiamento que seja incompatível com contrariar o impacto em sentido descendente da pandemia na trajetória projetada da inflação”.

“Além disso, a flexibilidade das aquisições ao longo do tempo, por classes de ativos e entre jurisdições continuará a apoiar a transmissão regular da política monetária. Se for possível manter condições de financiamento favoráveis com fluxos de compras de ativos que não esgotem a dotação no horizonte de aquisições líquidas ao abrigo do PEPP, a dotação não terá de ser utilizada na íntegra”, reitera em comunicado. De igual modo, realça que “a dotação pode ser recalibrada, se necessário, para manter condições de financiamento favoráveis, a fim de ajudar a contrariar o choque negativo provocado pela pandemia na trajetória da inflação.

Questionada sobre uma eventual discussão sobre o fim do PEPP, Christine Lagarde afirmou que “não discutimos o que vem a seguir”. Contudo, sublinhou que “quando o PEPP terminar, o nosso trabalho ainda está acabado”, admitindo que a discussão sobre o programa “será retomada em dezembro”.

BCE vai diminuir “moderadamente” ritmo da compra de ativos do programa de emergência

Relacionadas

Mais otimista, BCE vê economia da zona euro a crescer 5% este ano

O BCE projeta crescimento dos países da moeda única de 5% este ano e de 4,6% em 2022. O staff do banco central reviu em alta as projeções para a inflação anual para 2,2% este ano e 1,7% no próximo ano.
Forum BCE 2020 — Christine Lagarde

BCE vai diminuir “moderadamente” ritmo da compra de ativos do programa de emergência

As taxas de juro mantiveram-se inalteradas, bem como a dotação do pandemic emergency purchase programme (PEPP). Mas a autoridade de política monetária da zona euro anunciou uma diminuição do ritmo de compras de dívida pública.
Recomendadas

Lisboa abre sessão nos ganhos com subida da Semapa e Galp

A Europa negoceia neste momento em subida. A praça lisboeta acompanha os ganhos com as subidas superiores a 1% da Semapa, Galp e Greenvolt.

Metaverso

É uma das palavras de 2021. É um movimento provavelmente imparável, também acelerado pela pandemia.

OPEP + concorda no aumento da produção de petróleo em janeiro

Por forte pressão principalmente dos Estados Unidos, a OPEP + aceitou fazer qualquer coisa para combater a subida dos preços do petróleo nos mercados mundiais. A decisão demorou, para desespero dos consumidores.
Comentários