Taxa de juro das casas desceu para 0,820% em maio

No mês anterior a taxa de juro tinha-se fixado nos 0,826%. Já nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu dos 0,655% de abril para os 0,677% no mês de maio.

A taxa de juro das casas em Portugal desceu para os 0,820% no mês de maio, numa descidas de 0,6 pontos base, face aos 0,826% registados no mês anterior, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira, 17 de junho.

Já nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu dos 0,655% de abril para os 0,677% no mês de maio. No financiamento para compra de casa a taxa de juro para o total dos contratos desceu para 0,838% (-0,6 p.b. face a abril), enquanto nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro aumentou pela primeira vez desde agosto 2020, fixando-se nos 0,671% (0,652% no mês anterior).

Por sua vez, e olhando para a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação subiu um euro, para 232 euros, dos quais 38 euros (16%) corresponderam ao pagamento de juros e 194 euros (84%) a capital amortizado. Já nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação subiu quatro euros, para 280 euros.

Analisando o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos, os dados indicam uma subida de 96 euros em maio, face ao mês anterior, fixando-se agora nos 56.011 euros, enquanto nos contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida foi de 114.355 euros, menos 397 euros do que o verificado em abril.

Recomendadas
Claude Berda e José Cardoso Botelho da Vanguard Properties

Claude Berda da Vanguard Properties já tem nacionalidade portuguesa

Segundo um comunicado Claude Berda foi notificado pela Conservatória dos Registos Centrais da conclusão do processo de nacionalização, “com sucesso”.

PremiumFundo da Sonae Capital vende Porto Palácio Hotel por 62,5 milhões de euros

Carteira vendida por fundo gerido pela Sonae Capital integra três edifícios, na zona da Avenida da Boavista, no Porto, com cerca de 48 mil metros quadrados de área. Grupo continua a gerir o hotel.

Investimento imobiliário em Portugal registou quebra de 70% no primeiro semestre

Dos 530 milhões investidos durante a primeira metade do ano, 40% destinaram-se ao segmento de escritórios (210 milhões de euros), 31% para imóveis residenciais de arrendamento (165 milhões de euros) e 14% para retalho (75 milhões de euros).
Comentários