TdC dá visto prévio ao contrato de serviço público entre Estado e CP

O Tribunal de Contas emitiu visto prévio ao contrato de serviço público entre o Estado e a CP, o que permitirá à transportadora ferroviária ser compensada pela prestação de serviço público, anunciou hoje o Governo.

Em comunicado, o gabinete do ministro das Infraestruturas e da Habitação refere que o “Governo foi hoje notificado da decisão do Tribunal de Contas relativa à concessão de visto prévio ao contrato de serviço público entre o Governo e a CP — Comboios de Portugal”, acrescentando que com a emissão deste visto “estão reunidas as condições para se iniciar a transferência relativa ao ano de 2020”.

O contrato de serviço público entre o Governo e a CP — Comboios de Portugal, assinado em novembro passado, vem estabelecer, “de forma objetiva, clara e transparente, um conjunto de obrigações de serviço público a que a CP está vinculada para o período de 2020 a 2030, a respetiva compensação e os indicadores operacionais quantificáveis de aferição de incumprimento”, lê-se no comunicado.

Com este contrato, o Estado passa a ter condições contratuais para exigir à CP o cumprimento de indicadores de serviço, fixados para os próximos 10 anos.

Em contrapartida, o Estado assume o compromisso de proceder ao pagamento de compensações à CP no montante que vier a ser apurado anualmente.

“Este contrato dá à CP mais capacidade financeira para a prestação do serviço, bem como para a manutenção e renovação do material circulante, concretizando o reforço do investimento na ferrovia previsto no Programa do XXII Governo”, conclui o comunicado.

Segundo a resolução do Conselho de Ministros publicada em Diário da República no dia 12 de junho, o Governo vai transferir, nos próximos 10 anos, mais de 850 milhões de euros para a CP, para o cumprimento das obrigações de serviço público.

Para este ano, o valor das compensações financeiras à empresa pelo cumprimento das obrigações de serviço público será de 88 milhões de euros.

Segundo o documento, as compensações financeiras visam assegurar que a execução das obrigações de serviço público pela CP é financeiramente sustentável e permite uma gestão eficaz por parte do operador de serviço público, por um lado, e, por outro, a prestação de serviços de transporte de passageiros com um adequado nível de qualidade e de segurança, tendo em vista a promoção do acesso universal, da coesão territorial e a salvaguarda dos direitos dos utilizadores.

Ler mais
Recomendadas

Havia 10,6 milhões de euros sob gestão nos fundos de investimento imobiliário em dezembro

A Interfundos (12,5%), a Square AM (11,3%) e a Caixa Gestão de Ativos (9,2%) detinham as quotas de mercado mais elevadas em dezembro.

EDP vai continuar a “analisar oportunidades” na energia solar e hidrogénio verde em Portugal

Miguel Stilwell de Andrade, o novo presidente executivo da maior empresa da bolsa de Lisboa, esteve hoje reunido com os jornalistas depois de ser nomeado para o cargo pelos acionistas. “Estamos sempre disponíveis para analisar oportunidades que possam existir de investir” na energia solar e hidrogénio verde em Portugal.

Governo diz que CGI “é soberano” na forma de escolher o novo conselho de administração da RTP

Conselho Geral Independente da RTP inicia em breve o processo de seleção do próximo conselho de administração da RTP, através de uma empresa especializada em recrutamento. BE entende que deveria ser por concurso internacional. Governo diz que cabe ao CGI decidir como fazer a seleção.
Comentários