Tem 40 anos mas sente-se com 20? A ciência explica (e mostra que tem razão)

Quem se sente mais novo consegue desempenhar com mais facilidade certas capacidades cognitivas como o processamento da linguagem, ter melhor noção do espaço, dispõe de uma maior consciência do que se está a fazer e do seu corpo, além de uma melhor memória.

Se se sente mais novo do que a sua idade cronológica então está no caminho certo para ter um cérebro mais jovem, o que traz uma série de benefícios para a saúde, para o próprio cérebro e para o seu equilíbrio mental. Esta foi a conclusão de um estudo publicado em junho de 2018 no jornal científico e dedicado aos estudos da neurociência, Fontiers in Aging Neuroscience.

Dois professores sul-coreanos resolveram investigar os impactos da idade subjectiva, isto é, da idade que uma determinada pessoa sente ter, independentemente da idade escrita no cartão de cidadão que tem. Para o efeito, participaram 68 idosos saudáveis.

Aqueles que se sentem mais jovens mostraram ter uma massa cinzenta cerebral mais volumosa o que é muito importante porque está intimamente ligada ao sistema nervoso. Para além disso, têm ainda uma idade cerebral mais jovem. Parece uma redundância, mas não é. É que uma idade cerebral mais jovem é o resultado da perceção da idade que se tem.

Por outras palavras, quer isto dizer que quem se sente mais novo consegue desempenhar com mais facilidade certas capacidades cognitivas como o processamento da linguagem, ter melhor noção do espaço, dispõe de uma maior consciência do que se está a fazer e do seu corpo, além de uma melhor memória. É quase caso para se dizer que quem se sente mais jovem, vive (quase) como um jovem.

Em sentido inverso, quem se sente mais velho é mais susceptível a sensações negativas que causam desconforto (mental) devido aos esforços cognitivos que se fazem na vida do dia-a-dia. Dito de outra forma, as pessoas que se consideram mais velhas, terão mais dificuldades em lembrar-se de determinadas coisas, por exemplo.

Relacionadas
Investigadores descobrem novo mecanismo que atrasa uma das causas de Alzheimer
Uma equipa internacional liderada por um investigador português descobriu um novo mecanismo bioquímico nas células nervosas que retarda a formação dos depósitos de agregados de proteína no cérebro, causadores da doença de Alzheimer.
Como a Inteligência Artificial já está a mudar as nossas vidas
O Parlamento Europeu não tem dúvidas. Os robôs são“pessoas eletrónicas” e os eurodeputados aprovaram ontem que se devem adotar regras em matérias de robótica e Inteligência Artificial. A ética, o impacto sobre o emprego, a sustentabilidade do Estado Social e a transformação industrial são temas em cima da mesa e discutidos por empresários como Elon Musk ou o cientista Stephen Hawking. Garantir a segurança dos humanos é outra das prioridades.
Da ficção cientifica para a realidade: como será o mundo daqui a 100 anos?
Como será o mundo daqui a cem anos? A vida extraterrestre será um mero facto, os carros serão completamente autónomos e a inteligência artificial vai incrementar as capacidades físicas de certos trabalhadores.
Recomendadas
Em tempos incertos nas bolsas, depósitos indexados a índices podem perder dinheiro?
Apesar de o investimento direto em ações não estar nos pensamentos da maioria dos pequenos aforradores, existem depósitos cuja remuneração está associada à evolução das bolsas.
Mais de 90% dos consumidores já comprou online, revela estudo
O Portal da Queixa revela que a grande maioria dos portugueses já adquiriu algum produto ou serviço pela internet. Mas o aumento das compras online tem o reverso da medalha: um aumento significativo do número de reclamações. Em apenas seis meses , foram registadas 4 mil reclamações pela a maior rede social de consumidores em Portugal.
Saiba como fazer um check-up gratuito aos seus eletrodomésticos
Serviço ‘Funciona’ é a nova disponibilidade para os clientes EDP Comercial sem custos adicionais e permite identificar o potencial de poupança dos principais equipamentos domésticos, bem como apresentar as soluções mais eficientes que permitem reduzir a fatura de energia.
Comentários